Delegação do Ministério do Esporte visita universidades e centros esportivos na China

Fonte Ascom – Ministério do Esporte 23/05/2012 às 22h

Delegação do Ministério do Esporte visita universidades e centros esportivos na China

Uma delegação do Ministério do Esporte participou nesta quarta-feira (23.05), em Pequim, de vários encontros com representantes da área esportiva chinesa. Houve reuniões com acadêmicos e estudiosos da Universidade do Esporte de Pequim, com organizadores dos Jogos Olímpicos de 2008 e com a Associação Chinesa de Futebol.

Na primeira visita, à Universidade de Pequim, o grupo foi recebido pelo reitor Yang Hua. Fundada em 1953, a universidade passou por uma reestruturação para os Jogos Olímpicos de 2008, quando as equipes brasileiras de futebol e de vôlei usaram as instalações para treinos.

A universidade concentra a maior parte dos estudos sobre esporte na China, todos disponíveis na biblioteca, que tem um acervo de mais de um milhão de livros. Atualmente, o instituto conta com cerca de 17 mil alunos na graduação e 2.200 na pós-graduação, além de 800 professores e funcionários. Os números relacionados à cooperação com outros países também são bastante expressivos: são 50 convênios internacionais, envolvendo 4.000 estudantes estrangeiros de 106 países.

Rio 2016
Yan Hua ressaltou a importância de estreitar laços com as universidades brasileiras. O secretário Nacional de Futebol do Ministério do Esporte, Luis Paulino, afirmou que o Brasil compartilha o interesse, principalmente porque sediará grandes eventos esportivos como a Copa do Mundo FIFA Brasil 2014 e os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016. Segundo Paulino, o Brasil tem interesse em receber e enviar alunos e professores, além de realizar pesquisas conjuntas.

Em seguida, a delegação brasileira se dirigiu à Associação do Desenvolvimento da Cidade Olímpica de Pequim, onde teve a oportunidade de conhecer o processo de preparação e realização dos Jogos Olímpicos de 2008. A associação, também conhecida pela sigla em inglês BODA, substituiu o BOCOG (Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos de Pequim) logo após o encerramento dos Jogos. Formada pelos diretores do então comitê organizador, é responsável por cuidar do legado físico e imaterial deixado pelas Olimpíadas.

Ampliação do metrô
O vice-presidente da BODA, Jiang Xiaoyu, fez uma explanação sobre o processo preparatório para os Jogos de 2008 e os desafios de operacionalização durante os 16 dias de competições. “Era um sonho de 100 anos, e a sua materialização não se deu apenas nos 16 dias de disputas esportivas, mas nos quatro anos que tivemos para apresentar nosso país ao mundo", afirmou Xiaovu. Segundo ele, a China trabalhou na concepção de “Jogos Verdes" com "tecnologia avançada e elevado fator humano", focando o desenvolvimento do país como um todo. Um exemplo prático de desenvolvimento da cidade foi o fato de o metrô ter passado de 42km para 200km, em 2008, e para 336km, em 2011.

Durante o encontro, o vice-presidente presenteou o secretário Nacional de Alto Rendimento, Ricardo Leyser, com uma coleção de livros contendo o histórico e o balanço dos Jogos de Pequim 2008. Leyser agradeceu a oportunidade do encontro e parabenizou os organizadores chineses pela visão estratégica de sempre colocar o bem da população em primeiro lugar, além da capacidade de articulação entre a tradição cultural e os desafios da sociedade contemporânea. "O modelo chinês de realização dos Jogos é inspirador para o resto do mundo" afirmou Leyser, acrescentando que o Ministério do Esporte do Brasil pretende contar, nos próximos anos, com a colaboração dos organizadores chineses na realização das Olimpíadas do Rio de Janeiro, em 2016.

Parceria no futebol
A última visita da delegação brasileira foi na Associação Chinesa de Futebol, onde conheceu o atual estágio de organização do esporte no país e os desafios para o próximo período. A vice-presidente da CFA, Xue Li, apresentou um histórico da relação entre os dois países e a imensa admiração que o povo chinês tem pelo futebol do Brasil. Ela lamentou o fato de a China não ter se classificado para o Mundial de 2014, mas disse que a seleção vai lutar para conseguir vaga nos Jogos Olímpicos de 2016.

O secretário Luis Paulino afirmou que o Ministério pretende estreitar o relacionamento entre Brasil e China na cooperação esportiva específica para o futebol. Os países assinaram acordo (foto) para desenvolver um plano plurianual que incluirá diversos aspectos, como o futebol escolar, feminino, de praia, futsal, intercâmbio de treinadores, jogadores, administradores esportivos e de clubes, programas de observadores em campeonatos e divulgação dos campeonatos.

Lilian Amaral (com informações de Ana Prestes, de Pequim)
Ascom – Ministério do Esporte
Fonte Ascom – Ministério do Esporte 23/05/2012 ás 22h

Compartilhe

Delegação do Ministério do Esporte visita universidades e centros esportivos na China