Curso de aperfeiçoamento reunirá professores no Pará

Fonte Ministério da Educação 06/08/2014 às 21h
Professores de 400 escolas quilombolas do Pará começam na próxima semana um curso de aperfeiçoamento direcionado à melhoria da formação continuada de professores em serviço nas escolas do campo. O workshop será ministrado pela Universidade Federal do Pará (UFPA).

De acordo com o coordenador do programa na UFPA, Salomão Hage, o professor faz o curso no município onde reside, em regime de alternância, que compreende um período de frequência presencial no polo da universidade (tempo-escola) e outro de atividades realizadas em serviço (tempo-comunidade).

Como os educadores trabalham com alunos dos anos iniciais do ensino fundamental, 20 mestres e doutores da UFPA ministram a formação em pedagogia e outros 20, nas áreas de ciências humanas, matemática, linguagem e ciências naturais.

Salomão Hage salienta que é grande o universo de docentes que trabalham em escolas multisseriadas e quilombolas no Pará. Ele estima em dez mil o número de educadores espalhados pelos 144 municípios.

O perfil desses docentes, segundo Hage, é de um profissional que tem pouco acesso a cursos de licenciatura, vive no campo ou na sede do município, mas passa a semana na comunidade rural ou quilombola onde leciona. “Muitas deles moram na própria escola”, diz.

Estímulo

Hage avalia ainda que a convivência por cerca de dez meses com mestres e doutores em educação dos quadros da universidade valoriza professores submetidos a uma rotina de isolamento. “Eles passam a ser vistos pelos gestores municipais e podem contar conosco”, diz Hage, doutor pelo Instituto de Ciências da Educação da UFPA.

O curso de aperfeiçoamento da UFPA atende professores dos municípios de Acará, Augusto Corrêa, Bragança, Breves (na Ilha de Marajó), Cametá, Mocajuba, Mojuí dos Campos, Santarém e Tracuateua.

Outros mil educadores do estado iniciaram o mesmo tipo de formação entre maio e julho. No conjunto, o programa abrange 1,4 mil docentes de nove municípios paraenses. A certificação está prevista para abril e maio de 2015.

Sobre o programa

A iniciativa do MEC é voltada para formação de professores que atuam nas turmas dos anos iniciais do ensino fundamental, em escolas de comunidades quilombolas. Todas as atividades formativas são realizadas por universidades públicas participantes.

Em 2013, o MEC selecionou sete universidades federais para participar de um projeto-piloto , em quatro das cinco regiões do país, com 7,5 mil vagas: universidades federais do Amazonas (Ufam), da Bahia (UFBA), do Pará (UFPA), de Pernambuco (UFPE), do Rio Grande do Sul (UFRGS), de Minas Gerais (UFMG) e do Maranhão (UFMA).
Ministério da Educação
Fonte Ministério da Educação 06/08/2014 ás 21h

Compartilhe

Curso de aperfeiçoamento reunirá professores no Pará