CRC/INPE se prepara para controlar o satélite Amazônia-1

Fonte Ascom - INPE 01/06/2012 às 16h

CRC/INPE se prepara para controlar o satélite Amazônia-1

Nesta semana foi testado com sucesso o protocolo Space Link Extension (SLE), instalado no Centro de Controle e Rastreio (CRC) de satélites do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), em São José dos Campos.

O protocolo de padronização é necessário para o apoio internacional no controle de satélites e irá beneficiar as operações do Amazônia-1, em desenvolvimento pelo INPE. Para realizar o teste SLE, comandos foram enviados para o SCD-1, o satélite de coleta ambientais do INPE em órbita desde 1993.

O SLE é um protocolo definido pelo Consultative Committee for Space Data Systems (CCSDS), organização internacional criada em 1982 e que reúne as principais agências espaciais do mundo para definição de recomendações sobre operação, interoperabilidade e suporte mútuo de sistemas espaciais. O INPE é membro fundador do CCSDS.

Com esse protocolo, o INPE poderá contar com o apoio de outras estações de rastreio distribuídas pelo mundo para rastrear seus próprios satélites, como é o caso do Amazônia-1, e, da mesma forma, poderá prover serviços de rastreio para outras agências internacionais. Nas próximas semanas será testada a integração entre o CRC e a estação de Svalbard, na Noruega.

CRC/INPE

O Centro de Rastreio e Controle de Satélites (CRC) realiza a operação em órbita dos satélites desenvolvidos pelo INPE ou em cooperação com instituições estrangeiras. O Centro está capacitado, ainda, a dar suporte a missões espaciais de terceiros. É composto pelo Centro de Controle de Satélites (CCS) em São José dos Campos (SP), pela Estação Terrena de Cuiabá (MT), pela Estação Terrena de Alcântara (MA), bem como pela rede de comunicação de dados e voz que conecta os três locais.
Ascom - INPE
Fonte Ascom - INPE 01/06/2012 ás 16h

Compartilhe

CRC/INPE se prepara para controlar o satélite Amazônia-1