Coordenadora defende oceanos como eixo de desenvolvimento

Fonte Ascom da Sectec-PE 15/04/2013 às 21h
A coordenadora para Mar e Antártica da Secretaria de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento do MCTI, Janice Trotte Duhá, afirmou nesta segunda-feira (15) que as novas orientações para a pesquisa oceanográfica no país são fundamentais para o aumento do conhecimento na área.

 

Segundo ela, o Plano Mais Brasil prevê a criação do Instituto Nacional de Pesquisa sobre os Oceanos, como forma de fortalecer a base de pesquisa e de infraestrutura tecnológica.

“Nosso objetivo é contribuir para incorporar os oceanos como eixo de desenvolvimento nacional e implementar uma política de acesso a todos os dados gerados sobre eles”, disse, em palestra realizada na abertura do 5º Encontro Preparatório do Fórum Mundial de Ciência 2013, que ocorre no Recife.

Junto com o instituto, acrescentou a coordenadora, deverão ser instalados de quatro a cinco centros regionais. Além disso, o MCTI deve adquirir um novo navio oceanográfico com capacidade para 40 a 60 pesquisadores.

“Temos um certo conhecimento da costa, mas um grande desconhecimento sobre a área mais afastada. Hoje, apenas 15% dos oceanógrafos que se formam no Brasil já tiveram experiência de embarque. Temos que melhorar e fomentar os estudos oceanográficos para mudar essa realidade”, observou Janice.

De acordo com ela, há um vazamento de sal e água em altas temperaturas por baixo do continente africano para o oceano Atlântico, conhecido como Agulhas. “Esse vazamento pode vir a ser um indutor de mudanças climáticas que terão impacto sobre todo o Atlântico. Sem dados conectados, estaremos à mercê dele e de outros fatores, como erosões costeiras e acidificação do oceano”.

Oceanos, clima e desenvolvimento é o tema central do encontro em Pernambuco. As discussões darão ênfase à identificação das contribuições científicas para a compreensão dos fenômenos naturais, para o enfrentamento e a adaptação às mudanças climáticas e para o desenvolvimento sustentável e inclusivo das populações a elas submetidas.

Leia mais.

 

 

Ascom da Sectec-PE
Fonte Ascom da Sectec-PE 15/04/2013 ás 21h

Compartilhe

Coordenadora defende oceanos como eixo de desenvolvimento