Conselhos devem enviar dados para liberar acesso

Fonte Agência Saúde – Ascom/MS 01/06/2012 às 19h

Para dar acesso aos profissionais, os Conselhos federais precisam enviar para o Ministério dados dos profissionais como UF e número de registo, além da data de nascimento dos profissionais.

O Ministério da Saúde recebeu, até esta sexta-feira (01), as informações necessárias dos Conselhos Federais de Medicina, Odontologia, Psicologia, Farmácia e Biologia para possibilitar o acesso de profissional de saúde ao portal Saúde Baseada em Evidências (http://periodicos.saude.gov.br). A nova ferramenta reúne conteúdos científicos e publicações sistematicamente revisadas com protocolos clínicos baseados em evidências e está disponível para os profissionais de saúde das 14 profissões regulamentadas no Ministério, mas o acesso só é possível após os Conselhos Federais enviarem: nome do profissional, identificação funcional do respectivo conselho, unidade da federação e data de nascimento.

A expectativa é receber em breve informações dos demais Conselhos Federais como Biomedicina, Educação Física, Enfermagem, Fisioterapia, Terapia Ocupacional, Fonoaudiologia, Medicina Veterinária, Nutrição e Serviço Social, possibilitando, desta forma, que a informação chegue aos cerca de 1,8 milhão de profissionais de saúde registrados no país.

O envio da informação feita pelo Conselho é o primeiro passo para a habilitação do acesso. Ao acessar a primeira vez o Portal, com o seu número de registro, o profissional de saúde preencherá um cadastro mais completo e também criará uma senha. Essas informações possibilitam - posteriormente - ao Ministério identificar o perfil do usuário, bem como as publicações e assuntos que foram consultados.

O secretário de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde, Mozart Sales, ressaltou a importância dos Conselhos enviarem o mais rápido possível os dados iniciais. “Vamos saber, desta forma, quem acessou, em qual base de dados ele pesquisou e quais os assuntos mais procurados, o que permitirá o planejamento e aperfeiçoamento da própria ferramenta”, explicou o secretário.

Criado pelo Ministério da Saúde em parceria com a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), o Portal “Saúde Baseada em Evidências”, possibilita ao profissional de saúde o acesso às melhores e atualizadas publicações científicas, com a finalidade de subsidiar a tomada de decisão no diagnóstico, no tratamento e na gestão. Pelo portal, os profissionais também podem utilizar ferramentas como calculadoras médicas e de análise estatística, além de conteúdo multimídia.

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, afirmou que a nova ferramenta significa mais um passo para alcançar o objetivo maior do Sistema Único de Saúde (SUS) de prover saúde pública, integral e gratuita a toda a população: “O novo Portal pode ajudar ainda mais nossos profissionais de saúde a melhorar o atendimento à população e fortalecer o processo de educação permanente dos trabalhadores do SUS”.

BASE DE DADOS

A base de dados do portal foi selecionada a partir de um levantamento realizado por pesquisadores e docentes de universidades públicas do País, que considerou a relevância e a atualização do conteúdo disponibilizado. O material foi selecionado para atender às principais necessidades dos profissionais de saúde.

Base de Dados

Resumo

 

Rebrats

Engloba estudos nacionais na área de Avaliação de Tecnologias em Saúde (ATS), desenvolvidos por pesquisadores brasileiros, com temas prioritários para o sistema de saúde nacional.

 

 

Embase

Ferramenta online com revisões sistemáticas em áreas como farmacologia, ciências farmacêuticas, toxicologia; alergia e imunologia, oncologia, neurologia, cardiologia, química medicinal e descoberta de drogas.

 

 

ProQuest Hospital Collection

Além de publicações periódicas, inclui a ferramenta de cálculo e análise de estatísticas de medicina baseada em evidência Medical Evidence Matters, que permite avaliar opções terapêuticas para condições médicas conhecidas.

 

 

 

Atheneu livros Virtuais

As publicações abrangem conteúdos relacionados às área de enfermagem; nutrição; fisioterapia; saúde coletiva; alergologia e imunologia clínica; anestesiologia; cardiologia; cirurgia; doenças infecciosas e parasitárias; medicina laboratorial; endocrinologia; fisiatria; gastroenterologia; geriatria; ginecologia e obstetrícia; nefrologia e urologia; neurologia; odontologia; oncologia; traumatologia; otorrinolaringologia; pediatria; psiquiatria; pneumologia; histologia; farmacologia; fisiologia; microbiologia; além de engenharia biomédica.

 

 

 

 

Micromedex

Oferece acesso a dois módulos: Diseasedex – Emergency Medicine, que apresenta dados e informações para as primeiras 72 horas de uma emergência médica, como suporte à vida, tratamentos e apresentação clínica e Diseasedex – General Medicine, que engloba o período posterior às primeiras horas de uma emergência médica, como prevenções, sintomas e complicações com informações baseadas em evidências referenciadas.

 

 

Dynamed

É uma ferramenta de referência clínica para uso no local de tratamento, criada por médicos para médicos. Contém sumários clinicamente organizados e inclui calculadoras médicas.

 

Best Practive –

British Medical Journal (BMJ)

Base de dados em prática médica que fornece informações detalhadas sobre como fazer diagnósticos, incluindo testes, diagnósticos diferenciais e diretrizes.


Clique aqui para saber o passo a passo do registro.

Agência Saúde – Ascom/MS
Fonte Agência Saúde – Ascom/MS 01/06/2012 ás 19h

Compartilhe

Conselhos devem enviar dados para liberar acesso