Congresso americano discute escassez de gás hélio

Fonte Imprensa Unicamp 04/03/2013 às 14h

 

Lei atualmente em vigor proíbe a exportação do elemento a partir de setembro

 

As reservas de gás hélio dos Estados Unidos respondem por 35% do consumo mundial, mas o país pode ser forçado a parar suas exportações se o Congresso americano não agir até o fim de setembro. Pela lei atualmente em vigor, o hélio da reserva geológica do Texas terá de parar de ser vendido assim que o governo recuperar o investimento de US$ 1,4 bilhão feito em sua criação, o que pode ocorrer no fim do ano fiscal atual, que se encerra em 30 de setembro.


Além de ser usado para encher balões, o hélio é um gás importante para uma série de experimentos científicos e desenvolvimentos tecnológicos. Sendo o segundo gás mais leve da natureza, atrás apenas do hidrogênio, é extremamente raro. De fato, o hélio foi o primeiro elemento descoberto fora da Terra, detectado por espectrômetros na atmosfera do Sol, antes de ser encontrado em nosso planeta.

De acordo com o boletim Science Insider, da revista Science, a escassez produzida pelo fim das exportações americanas poderia “aleijar várias indústrias de alta tecnologia e paralisar várias áreas de pesquisa”. O hélio é fundamental, por exemplo, para resfriar magnetos em equipamentos como aparelhos de ressonância magnética e em grandes aceleradores de partículas.

 

Um projeto de lei em discussão prevê que o regime atual de vendas seja substituído, por algum tempo, por um sistema de leilões e, à medida que a reserva se reduza, a um sistema de vendas exclusivas para órgãos de pesquisa federais.

Imprensa Unicamp
Fonte Imprensa Unicamp 04/03/2013 ás 14h

Compartilhe

Congresso americano discute escassez de gás hélio