Condenado por atentado de 1980 consegue liberdade definitiva

Fonte Ansa Flash 19/11/2009 às 0h
O italiano Valerio Fioravanti, condenado à prisão perpétua pelo atentado cometido contra a estação ferroviária de Bolonha, norte do país, em 2 de agosto de 1980, teve sua pena "extinta" hoje.

Fioravanti é um dos três processados pelo ataque cometido há 29 anos e que deixou 85 mortos e mais de 200 feridos.

Em declarações à ANSA, ele afirmou que ainda "existem lacunas a serem investigadas", que devem ser analisadas por "pessoas competentes e neutras".

Sua esposa, Francesca Mambro, também é acusada pelo mesmo crime. O casal, que à época pertencia ao grupo terrorista Nuclei Armati Rivoluzionari (Núcleos Armados Revolucionários), sempre declarou inocência.

Considerado ex-terrorista na Itália, Fioravanti, de 51 anos, obteve em 2004 a liberdade condicional. Os condenados à prisão perpétua, após 26 anos detidos e sem apresentarem um comportamento que demonstre uma mudança de atitude têm direito a esse benefício.

Preso em 1981, Fioravanti também já havia diminuído sua pena. Na Itália, a cada ano de prisão cumprido são descontados três meses da punição. Hoje, após 5 anos de condicional, sua condenação foi "extinta", conforme determina o Código Penal italiano.

Segundo o seu advogado, Michele Leonardi, "a vida de Fioravanti não mudou durante estes cinco anos, volta para casa à noite, para sua mulher e filha, e de dia trabalha. É um homem absolutamente tranquilo".

Ainda de acordo com Leonardi, ele não solicitou um passaporte e não tem nenhum motivo para se afastar da Itália, pois todas as suas relações de afeto estão no país.

Mambro, por sua vez, também condenada à prisão perpétua, "poderá obter a plena liberdade em 2013, pois conseguiu a liberdade condicional no ano passado", afirmou o advogado.
Ansa Flash
Fonte Ansa Flash 19/11/2009 ás 0h

Compartilhe

Condenado por atentado de 1980 consegue liberdade definitiva