Colágeno, benefícios além da estética

Fonte Core Comunicação 22/04/2013 às 8h

Proteína também é indicada nos cuidados das articulações e ossos

Quando se fala em colágeno, a primeira coisa que vem à cabeça são os benefícios à saúde da pele. Mas essa proteína, que é produzida naturalmente pelo corpo, também tem outras funcionalidades ao organismo, sendo responsável pela estrutura dos tecidos, desde músculos, tendões e cartilagens até as paredes dos vasos sanguíneos.

O colágeno representa cerca de 30% do total de toda proteína do corpo, porém, por volta dos 30 anos, sua produção começa a diminuir. Essa redução no organismo deixa a pele mais flácida, seca e fina, por isso as rugas surgem com mais facilidade, os cortes demoram mais para cicatrizar, as articulações e os ossos ficam mais frágeis e os cabelos e unhas enfraquecidos. No caso das mulheres, essa diminuição é ainda mais acentuada quando se atinge a menopausa.

Frente ao exposto, seu consumo é recomendado por dermatologistas, nutricionistas e também por reumatologistas, uma vez que a Sociedade Brasileira de Reumatologia reconhece suas indicações no tratamento da artrose.

Uma das conhecidas fontes de colágeno é a sobremesa de gelatina encontrada em supermercados, porém por conter conservantes, açúcar, adoçantes e corantes artificiais, a quantidade dessa proteína, nestes produtos, não chega a ser suficiente para suprir as necessidades do nosso organismo. Sendo assim, o ideal é consumir outra forma de colágeno, como o Peptideo Bioativo de Colágeno. “O Peptideo Bioativo de Colágeno é produzido a partir da hidrólise controlada do colágeno, que deixa os fragmentos proteicos menores para melhor absorção e síntese pelo corpo”, explica Denise Reis, gerente de Pesquisa e Desenvolvimento da GELITA.

Nas prateleiras - Hoje em dia, no mercado nacional, o colágeno está presente em diversas aplicações, como barras de cereais para a redução do teor de açúcar, nos iogurtes para a redução do teor de gordura, sorvetes para conferir uma maior cremosidade reduzindo a formação de cristais de gelo, nos shakes para o enriquecimento proteico, nos chocolates para a redução de gordura e em bebidas para a clarificação e também enriquecimento proteico das mesmas. “Atualmente encontramos em supermercados e farmácias diversos produtos que contribuem para a suplementação com colágeno”, conta Reis. Pensando nesse mercado, a empresa M. Kassab, parceira da companhia, desenvolveu em conjunto com a Good Soy um cookie com colágeno que será apresentado na próxima edição da Vitafoods que será realizada nos dias 26 e 27 de março no Expo Transamérica em São Paulo.

O colágeno também pode ser encontrado em bebidas funcionais, complexos vitamínicos, cápsulas, shots e gomas. Há, ainda, a sua versão em pó, que pode ser misturada em sucos e shakes, entre muitas outras aplicações. “Por ser um ingrediente saudável, o colágeno vêm ganhando mais mercado, com alta versatilidade e sem contraindicações”, diz Reis.

De acordo com a presidente de Marketing & Sales da GELITA nas Américas, Cláudia Yamana, além de não apresentar gordura e colesterol, ele enriquece alimentos com proteína, de forma saudável e natural. “O colágeno possui aminoácidos essenciais ao corpo, confere à pele maior tônus e hidratação, possibilitando assim a redução de rugas e flacidez, além de gerar a sensação de saciedade, quando ingerido antes das refeições”, diz Yamana.

Sobre o GRUPO GELITA - Uma das maiores produtoras responsável por grande parte da gelatina consumida no mundo. A empresa possui três fábricas no Brasil que compõem a GELITA do Brasil e estão localizadas em Mococa (SP), Maringá (PR) e Cotia (SP).

Juntas, estas plantas atendem o mercado brasileiro e exportam 80% da sua produção. A produção da GELITA no Brasil é voltada, principalmente, para a indústria alimentícia e farmacêutica, mas atende, também, os setores cosméticos e fotográficos.

Core Comunicação
Fonte Core Comunicação 22/04/2013 ás 8h

Compartilhe

Colágeno, benefícios além da estética