Ciência sem Fronteiras já concedeu mais de 22,5 mil bolsas

Fonte Ascom do CNPq* 27/02/2013 às 15h
O programa Ciência Sem Fronteiras ofereceu, até janeiro deste ano, 22.646 bolsas de graduação e pós-graduação em 16 países, em universidades renomadas como o Massaschusetts Institute of Technology (MIT), que atualmente abriga 38 estudantes brasileiros.

 

A informação é do presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI), Glaucius Oliva, que participou, na semana passada, do 30º Café com Sustentabilidade, promovido pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban) com o objetivo de debater temas socioeconômicos.

Em palestra realizada durante o encontro, Oliva enfatizou a importância do investimento em pesquisa e tecnologia para o desenvolvimento de uma nação e citou a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa/Mapa), a Petrobras e a Embraer como exemplos de empresas que hoje colhem os frutos dessa iniciativa, alcançando o posto de liderança nos setores em que atuam.

“O conhecimento agregado é um pilar decisivo na consolidação de um Brasil que tem como meta a erradicação da pobreza”, disse.

Além do presidente do CNPq, o presidente da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes/MEC), Jorge Almeida Guimarães, participou do evento.

Bolsas

Após o evento, representantes da Febraban e da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima), da Bolsa de Valores Mercadorias e Futuros (BM&FBovespa), da Cetip S/A – Mercados Organizados, da Câmara Interbancária de Pagamentos (CIP) e da companhia Redecard formalizaram seus respectivos instrumentos de doação com as agências governamentais.

A Febraban e as entidades do setor financeiro contribuirão com 6.500 bolsas para o programa, totalizando um investimento de US$ 180,8 milhões, dos quais US$ 18 milhões foram aportados em 2012.

“Realizamos esse encontro para mostrar aos representantes das instituições financeiras as diversas oportunidades existentes no programa para a formação de jovens talentos no médio e longo prazo”, explicou o diretor de Relações Institucionais da Febraban, Mario Sergio Vasconcelos.

Painel de Dados

Nas próximas semanas, o portal do Ciência Sem Fronteiras contará com o chamado Painel de Dados para aprimorar o acompanhamento de todas as bolsas pagas pelo programa.

Com isso, qualquer pessoa poderá pesquisar, a partir de uma base de dados atualizada, informações como a relação de bolsas concedidas por estado e quais áreas de conhecimento (biologia, engenharia, energia nuclear, agricultura etc.) receberam maior número de bolsas, além dos países e as universidades que abrigam o maior número de estudantes.

 

*Com informações da Febraban

Ascom do CNPq*
Fonte Ascom do CNPq* 27/02/2013 ás 15h

Compartilhe

Ciência sem Fronteiras já concedeu mais de 22,5 mil bolsas