China quer encerrar produção de substâncias destruidoras da camada de ozônio até 2030

Fonte ONU Brasil/EcoAgência 29/04/2013 às 21h

O Protocolo de Montreal ajudou a acabar com 97% da produção de substâncias destruidoras da camada de ozônio desde que foi implementado, em 1987.

O governo da China se comprometeu a eliminar completamente a sua produção industrial de substâncias destruidoras da camada de ozônio (SDOs) e de hidroclorofluorcarbonos (HCFCs) até 2030. O anúncio foi feito pelo programa ambiental da ONU na terça-feira (23). A agência dará todo o suporte necessário para que os chineses atinjam a meta no tempo certo. O Comitê Executivo do Fundo Multilateral do Protocolo de Montreal sobre Substâncias que Destroem a Camada de Ozônio declarou que vai fornecer à China uma quantia de até 385 milhões de dólares para que o país consiga erradicar a produção de SDOs.

“A China vai fechar e desmantelar as suas linhas de produção, produzindo apenas HCFCs para usos regulamentados pelo Protocolo de Montreal”, disse o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), que supervisiona o Protocolo. O Protocolo de Montreal tem como objetivo proteger a camada de ozônio, tomando medidas para controlar a produção global total e o consumo de substâncias que possam prejudicá-la. Desde a sua ratificação, em 1987, conseguiu erradicar 97% dos produtos químicos que destroem a camada de ozônio em todo o mundo.

De acordo com dados fornecidos pelo PNUMA, a China produz 92% da quantidade total de HCFCs nos países em desenvolvimento. A maior parte dos produtos químicos fornecidos é utilizada na refrigeração e no setor de espumas, mas há também solventes, protetores contra incêndio e produtos de esterilização de dispositivos médicos.

 

ONU Brasil/EcoAgência
Fonte ONU Brasil/EcoAgência 29/04/2013 ás 21h

Compartilhe

China quer encerrar produção de substâncias destruidoras da camada de ozônio até 2030