Carregando o talento nas costas pra atingir o sucesso lá na frente

Fonte CBDA 17/08/2014 às 19h
Gold Coast / AUS – Nem sempre buscar o que deseja de frente é a melhor medida. Assim como o autor de um gol de bicicleta atinge o grande momento do futebol sem encarar o goleiro adversário, os nadadores de costas vão em busca de sua meta sem contemplar a parede final, “a linha de chegada” da modalidade. No Campeonato Pan-Pacífico de Natação de 2014, o Brasil competirá no masculino com Guilherme Guido (27 anos), Leonardo de Deus (23 anos) e Fábio Santi (25 anos), faltando ainda decidir se Thiago Pereira (28 anos) disputará o estilo. A competição acontece de 21 a 24 de agosto na australiana Gold Coast, com transmissão ao vivo para o Brasil.

Guilherme Guido é o mais experiente do trio. Recordista sul-americano dos 100m costas, ele quer voltar a nadar na casa dos 53 segundos.

- A prova vai ser bem forte. A meta sempre é baixar os tempos pessoais, mas depois dos trajes tecnológicos não nadei mais abaixo dos 54 segundos e é que pretendo aqui – disse Guido, cuja marca continental é de 53s24, desde 2009. O brasileiro competiu no Pan-Pac anterior (Irvine/2010), terminando em 8º nos 50m e 100m costas.

Fábio Santi é estreante na competição. Depois de surpreender até a si mesmo, com o índice para o Pan-Pac no último Troféu Maria Lenk, quando a intenção era melhorar seu tempo, ele continua querendo dar um passo de cada vez, e mesmo num esporte em que vence quem chega antes, ele segue o mantra de uma canção do sambista Martinho da Vila, “é devagar…é devagarinho”.

- É a primeira vez que competirei com todos aqueles nadadores renomados, a começar pelo japonês Ryosuke Irie (24 anos), primeiro do ranking mundial de 2014 nos 200m costas e em segundo nos 100m, mesmo estilo. Sem queimar etapas, minha intenção inicial, além de baixar meus tempos, é de atingir uma final. Conseguindo, aí sim, posso tentar um algo a mais – concluiu Santi.

Já Leonardo de Deus, apesar de estar inscrito para os 200m costas (prova em que foi semifinalista nos dois últimos Mundiais), não a tem como principal objetivo no torneio.

- Quase não treinei este ano pros 200m costas. Estou bem melhor preparado é para os 200m borboleta. Mas acho que também pode sair coisa boa, nos 400m livre (distância em que bateu o recorde brasileiro em maio deste ano) – resumiu Leozinho, que esteve em Irvine, há quatro anos. Na ocasião, terminou em 9º lugar nos 200m borboleta e em 11º nos 200m costas. Nos 200m borboleta, Leo de Deus foi semifinalista no Mundial de Xangai/2011, e finalista na edição seguinte, em Barcelona/2013.

O Brasil participa do Campeonato Pan-Pacífico de Natação com recursos dos Correios – Patrocinador Oficial dos Desportos Aquáticos Brasileiros, e ainda do Bradesco/Lei de Incentivo Fiscal, Lei Agnelo/Piva – Governo Federal – Ministério do Esporte, Speedo, Sadia e Universidade Estácio de Sá.
CBDA
Fonte CBDA 17/08/2014 ás 19h

Compartilhe

Carregando o talento nas costas pra atingir o sucesso lá na frente