Captação líquida da poupança em agosto representa menos da metade da de julho

Fonte Agência Brasil 19/11/2009 às 0h
A captação líquida - diferença entre depósitos e saques - de recursos de caderneta de poupança caiu no mês de agosto. Os depósitos foram maiores do que as retiradas em R$ 3,098 bilhões. No mês de julho, a captação líquida havia sido de R$ 6,672 bilhões, o maior valor para meses de julho desde o início do Plano Real, em 1994.

Segundo o Banco Central, em agosto, os depósitos somaram R$ 83,689 bilhões e os saques, R$ 80,590 bilhões. No mês passado, o rendimento da caderneta foi de R$ 1,515 bilhão e o saldo estava em R$ 295,951 bilhões.

O relatório do Banco Central tem por base dados do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE), que destina recursos ao setor imobiliário e da poupança rural.

No caso do SBPE, a captação foi de R$ 1,514 bilhão, com depósitos no total de R$ 71,440 bilhões e retiradas de R$ 69,925 bilhões. A captação líquida da poupança rural foi de R$ 1,584 bilhão, resultado da diferença entre depósitos de R$ 12,248 bilhões e saques de R$ 10,664 bilhões.

A caderneta de poupança é remunerada pela Taxa Referencial mais 0,5% ao mês e não cobra taxa de administração.

No dia 13 de maio deste ano, o governo anunciou uma medida, que ainda não está em vigor, para evitar a migração de grandes investidores de fundos de investimento para a caderneta de poupança. Houve esse temor porque, com as reduções da taxa básica de juros, que remunera títulos públicos integrantes da cesta de aplicações dos fundos de investimentos, a poupança está mais atrativa, já que não é tributada.

Pela nova regra, será descontado Imposto de Renda do rendimento de poupança que exceder R$ 50 mil. De acordo com o governo, atualmente apenas 1% dos poupadores aplica mais do que R$ 50 mil na caderneta.
Agência Brasil
Fonte Agência Brasil 19/11/2009 ás 0h

Compartilhe

Captação líquida da poupança em agosto representa menos da metade da de julho