Candidato mexicano à OMC nega que eleição 'dividirá' Am. Latina

Fonte Ansa flash 30/04/2013 às 18h

O mexicano Hermínio Blanco concorre à direção do organismo com o brasileiro Roberto Azevêdo

CIDADE DO MÉXICO, 30 ABR (ANSA) - O candidato mexicano à direção da Organização Mundial do Comércio (OMC), Hermínio Blanco, negou que provocaria uma divisão na América Latina se fosse eleito. Ele concorre ao cargo com o brasileiro Roberto Azevêdo.

Segundo Blanco, o presidente do México, Enrique Peña Nieto, e a brasileira Dilma Rousseff estão "decididos a trabalhar juntos por uma América Latina mais forte" e "todos deverão trabalhar para o fortalecimento da OMC".

Blanco, ex-ministro do Comércio do México, disse ainda que é a "melhor" pessoa para tirar a OMC do "estado crítico" em que se encontra. Para ele, o organismo passa por uma fase de "falta de credibilidade".

Blanco e Azevêdo disputam o cargo que hoje é ocupado pelo francês Pascal Lamy -- ele sairá em agosto --. Já foram realizadas duas rodadas de votação preliminares, e a próxima e última fase ocorrerá entre os dias 1 e 7 de maio. O nome do vencedor, porém, só será divulgado a todos os membros da OMC no dia 8.

Azevêdo é embaixador do Brasil na OMC desde 2008 e, apesar disso, se diz contrário à política comercial do governo Dilma.

Por sua vez, o candidato mexicano foi um dos negociadores de tratados comerciais assinados pelo país com outras nações, como o tratado de Livre Comércio da América do Norte (Nafta), que envolve Estados Unidos e Canadá.

Ansa flash
Fonte Ansa flash 30/04/2013 ás 18h

Compartilhe

Candidato mexicano à OMC nega que eleição 'dividirá' Am. Latina