Candidato à presidência pede à Argentina que dê folga a uruguaios em eleições

Fonte Ansa Flash 19/11/2009 às 0h
O senador uruguaio José Mujica, candidato do governo às eleições presidenciais, pediu hoje pessoalmente à mandatária argentina, Cristina Kirchner, que seus compatriotas que vivem no país sejam liberados do trabalho por dois dias para votar no pleito, marcado para 25 de outubro.

A mesma solicitação já havia sido feita anteriormente por Mujica, apontado pelas pesquisas como o favorito à sucessão do atual presidente, Tabaré Vázquez.       Em agosto, o candidato disse que obteve uma resposta positiva de Buenos Aires.

Como justificativa, naquele momento, ele sustentou que a maior parte dos uruguaios que vivem no país vizinho é de origem humilde, e que por isso não poderia ser prejudicada por uma eventual falta ao trabalho.

Nesta sexta-feira, Mujica se reuniu com Cristina Kirchner na Casa Rosada, em Buenos Aires, sede do governo argentino.

Durante o encontro, ele procurou se esquivar de temas polêmicos, como a disputa que envolve os dois países devido à construção de uma fábrica de pasta de celulose na margem do Rio Uruguai, na cidade uruguaia de Fray Bentos.

A unidade é operada pelo grupo finlandês Botnia e, de acordo com ambientalistas argentinos, estaria poluindo as águas do rio, que delimita a fronteira entre as duas nações.

Em protesto contra o funcionamento da usina, manifestantes argentinos mantêm bloqueada há três anos a ponte binacional General San Martín. O caso está sob a análise do Tribunal Internacional de Justiça, sediado em Haia, na Holanda.

"Mujica não veio como representante do governo uruguaio", afirmaram porta-vozes do candidato, em declarações citadas pela agência de notícias argentina DyN.

O senador viajou a Buenos Aires acompanhado de seu companheiro de chapa, Danilo Astori, que foi ministro da Economia de Vázquez e disputou com Mujica a candidatura à presidência nas internas da coalizão governista Frente Ampla.

Além de Cristina Kirchner, os dois esperam ser recebidos ainda pelo chefe de Governo da cidade de Buenos Aires, Mauricio Macri, e pelo governador da província de Buenos Aires, Daniel Scioli.

Estima-se que cerca de 300 mil uruguaios moram na Argentina, dos quais aproximadamente 40 mil estão habilitados a votar nas eleições de outubro.
Ansa Flash
Fonte Ansa Flash 19/11/2009 ás 0h

Compartilhe

Candidato à presidência pede à Argentina que dê folga a uruguaios em eleições