Câmara pode votar reforma política no início de abril

Fonte Agência Câmara Notícias 26/02/2013 às 16h

 

 

Leonardo Prado
Henrique Fontana
Henrique Fontana defende votação do financiamento público exclusivo de campanhas.

Em reunião nesta terça-feira (26), os líderes de partidos na Câmara decidiram que a reforma política entrará na pauta do Plenário na primeira semana de abril. Até lá, as bancadas deverão negociar pontos específicos da proposta com o relator, deputado Henrique Fontana (PT-RS). “Vamos votar a reforma possível, mesmo sem acordo”, afirmou o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves.

O relator da reforma explicou que quatro itens deverão estar na pauta do Plenário: a coincidência das eleições no mesmo ano (não necessariamente no mesmo dia); o fim das coligações proporcionais; a manutenção do voto no partido ou no candidato, a depender do interesse do eleitor; e o financiamento público exclusivo de campanhas.

Henrique Fontana defendeu o último item: "O financiamento público retira do poder econômico a força que ele vem desempenhando nas eleições, o que é desejável para todo o País". Segundo o relator, não há consenso entre os deputados, mas existe maioria suficiente para aprovação. O deputado acredita que a votação de todos os itens da reforma dure pelo menos duas semanas.

O líder do PSDB, Carlos Sampaio (SP), também afirmou que, semana que vem, o Plenário poderá votar a Proposta de Emenda à Constituição 196/12, do Senado, que acaba com o voto secreto no Congresso.

Agência Câmara Notícias
Fonte Agência Câmara Notícias 26/02/2013 ás 16h

Compartilhe

Câmara pode votar reforma política no início de abril