Calote dá lugar à solidariedade no Dia do Advogado no Rio

Fonte Agência Brasil 19/11/2009 às 0h
Aos poucos o dia 11 de agosto vai deixando de ser motivo de preocupação para donos de bares e restaurantes no Rio de Janeiro. Também conhecido como Dia do Pendura – em referência aos calotes de estudantes e estagiários de direito nesses estabelecimentos comerciais –, o Dia do Advogado, comemorado hoje (11), foi uma oportunidade para essas pessoas doarem sangue.

Graças à iniciativa de advogados, estudantes e estagiários de direito, o Instituto Estadual de Hematologia (Hemorio), órgão da Secretaria de Estado de Saúde e Defesa Civil, conseguiu repor, provisoriamente, os estoques da instituição, que nesta época do ano costumam ficar muito abaixo da média. Para o vice-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil no Rio de Janeiro (OAB-RJ), Lauro Schuch, que coordenou a atividade e foi um dos doadores, a iniciativa inédita busca acabar com a imagem negativa deixada pelo Dia do Pendura.

“Queremos enfatizar para a sociedade que a carreira de advogado está ligada à ética e à solidariedade. Iremos realizar esse tipo de ação todos os anos e incentivamos outras instituições a promover atividades similares, pois o que estamos fazendo aqui é hoje é salvar vidas.”

Desde o mês passado o Hemorio está em alerta máximo. O instituto, que abastece com sangue e derivados cerca de 200 unidades conveniadas com o Sistema Único de Saúde (SUS) continua fazendo um apelo para que a população continue doe sangue. Nesta época, as coletas não ultrapassavam 200 bolsas ao dia, enquanto a média de doações diárias é de 350.

A situação foi agravada por causa do aumento de casos de influenza A (H1N1) – gripe suína –, que fez o número de doadores cair em mais de 50%.
Agência Brasil
Fonte Agência Brasil 19/11/2009 ás 0h

Compartilhe

Calote dá lugar à solidariedade no Dia do Advogado no Rio