Calderón defende medidas conjuntas para estimular crescimento da América do Norte

Fonte Ansa Flash 19/11/2009 às 0h
O presidente do México, Felipe Calderón, afirmou hoje que "os desafios só podem ser superados conjuntamente", ao discursar no encerramento da Quinta Cúpula dos Líderes da América do Norte.

Ao lado do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e do primeiro-ministro do Canadá, Stephen Harper, o mandatário mexicano defendeu que os três países devem tomar medidas para impulsionar o crescimento, de forma coordenada, para ajudar "a estabilizar nossas economias".

Segundo Calderón, é necessário "revitalizar nossos intercâmbios" e é primordial incentivar o livre comércio e alcançar uma maior competitividade.

Ressaltando que o fortalecimento das instituições financeiras deve ser "pauta" para a integração, o mandatário afirmou que a próxima Cúpula do G20, que será realizada em setembro na cidade norte-americana de Pittsburgh, é a "grande oportunidade para construir os acordos necessários para reformar estes organismos, que são necessários para a nossa economia".

De acordo com o presidente do México, durante a Cúpula dos Líderes da América do Norte, foram alcançados alguns objetivos, como a "regulamentação e certificação dos nossos produtos", que tem o objetivo de diminuir o preço, aumentar verbas e a competitividade.

Ele anunciou também um programa de modernização da fronteira de seu país com os Estados Unidos. Até o fim do ano, será inaugurada "a primeira ponte internacional, construída após vários anos, entre os Estados Unidos e o México", anunciou Calderón.

Assim como Obama, Calderón reiterou seu compromisso no combate ao crime organizado internacional e a luta de seu país contra narcotraficantes que atuam em território mexicano.

Obama se comprometeu a combater o tráfico de drogas e propôs um projeto de integração, para reverter as consequência da crise econômica, que causou pobreza e desemprego nos países da América do Norte.

O presidente norte-americano também agradeceu ao governo mexicano pela hospitalidade e falou sobre a imigração de cidadãos dos três países, o que comprova que "a América não é definida por fronteiras, mas sim por laços".

"Somos sócios comerciais e trabalhamos para a prosperidade da região", disse o mandatário norte-americano, que repudiou qualquer medida protecionista.

Como exemplo de tal integração, Obama falou sobre as ações contra a propagação dos casos de gripe A (H1N1) nos três países. Ponto que também foi abordado pelo premier canadense.

Harper destacou que México, Canadá e Estados Unidos trabalharam juntos para combater a doença, mesmo tendo níveis de desenvolvimento diferentes.

Sobre o tráfico de drogas, ele declarou que o Canadá apoia todas as iniciativas contra a violência, assim como um acordo eficaz contra a mudança climática e as crises políticas.

"Canadá, EUA e México são bons vizinhos e amigos. Somos independentes e ao mesmo tempo interdependentes", afirmou o premier.

Os três representantes novamente demonstraram respaldo pelas ações da Organização dos Estados Americanos (OEA) para resolver a crise política hondurenha, ocasionada pelo golpe de Estado do último dia 28 de junho.
Ansa Flash
Fonte Ansa Flash 19/11/2009 ás 0h

Compartilhe

Calderón defende medidas conjuntas para estimular crescimento da América do Norte