Calderón admite recuperação lenta e diz que foco é a criação de empregos

Fonte Ansa Flash 19/11/2009 às 0h
O presidente mexicano, Felipe Calderón, admitiu ontem que a recuperação do país da crise econômica mundial será lenta, contudo afirmou que seu governo está concentrado em garantir emprego aos cidadãos.

Com fortes vínculos com os Estados Unidos [primeiro país a ser atingido pela crise], o México é a nação latino-americana que mais registrou perdas desde que os norte-americanos entraram em recessão. A contração da economia mexicana foi a pior dos últimos 30 anos. Seu Produto Interno Bruto (PIB) encolheu 10,3% entre abril e junho, na comparação ao mesmo período do ano passado.

Ontem, em mensagem à nação, Calderón admitiu que a recuperação econômica "será lenta, mas positiva para o México". "Vivemos tempos difíceis, os dados ainda são insuficientes, mas são alentadores porque seguiremos em frente", afirmou.

Sobre a situação dos mexicanos, o presidente destacou que para manter os empregos e apoiar as famílias, o governo investiu esse ano "mais do que nunca" em obras públicas federais e prognosticou que, após a crise, "teremos uma economia mais forte e dinâmica, que atraia investimentos e gere empregos".

A mensagem de Calderón faz parte de uma série de informes que ele apresenta sobre o terceiro ano de seu governo. Nos próximos dias, espera-se a divulgação de um relatório de suas atividades.

Há cerca de dez dias, o presidente mexicano visitou o Brasil, onde se reuniu com empresários locais e com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva com o objetivo de aumentar as relações comerciais entre os dois países. Segundo Calderón, esta seria uma forma de seu país diminuir a dependência dos Estados Unidos.
Ansa Flash
Fonte Ansa Flash 19/11/2009 ás 0h

Compartilhe

Calderón admite recuperação lenta e diz que foco é a criação de empregos