"Cada começo é só continuação", na Funarte MG

Fonte Funarte 12/04/2013 às 9h

Espetáculo dirigido e encenado por Margô Assis, Renata Ferreira e Thembi Rosa reúne, no palco, o duo musical O Grivo e um software de Manuel Guerra, e das dançarinas Dorothé Depeauw, Sarah Vaz e Tana Guimarães.

O Dança Multiplex estreia o espetáculo Cada começo é só continuação no dia 11 de abril, às 20h, na Funarte MG – onde faz temporada até o dia 21, quinta a domingo, às 20h. Novo trabalho do grupo de pesquisa formado por Margô Assis, Renata Ferreira e Thembi Rosa, o espetáculo conta com a participação do duo musical O Grivo, com o desenvolvimento de software de Manuel Guerra, e com as dançarinas Dorothé Depeauw, Sarah Vaz e Tana Guimarães.

Cada começo é só continuação aposta no exercício de uma construção diária, em um compartilhamento de experiências e nas suas reverberações que se fazem no tempo. Transitar entre as singularidades de cada corporeidade e buscar uma composição sensível (tangível), testar a permeabilidade e as contaminações que se estabelecem ao longo desta convivência são características da estrutura deste trabalho. Todos os sons são acionados pelos movimentos das dançarinas em um espaço mapeado por zonas sonoras específicas. Assim, não há uma trilha sonora independente dos deslocamentos realizados no instante.

A estrutura desta criação está ancorada nos desenhos espaciais produzidos por cada uma das dançarinas e na escuta constante do que se é produzido junto. Velocidade, duração e deslocamentos interferem diretamente nos sons explorados por cada uma delas em um terreno comum de escuta.

O espetáculo Cada começo é só continuação tem entrada gratuita – ingressos retirados 1 hora antes do espetáculo – sujeito à lotação do espaço.

O projeto Dança Multiplex foi contemplado pelo Edital FUNARTE – Procultura 2011.

A montagem

Esta pesquisa dá continuidade ao projeto do Dança Multiplex de 2012, no qual foi apresentado o dueto: Olho e 1331”. Em Cada começo é só continuação as proposições de ambos os duetos se mesclam e se configuram, agora, em um sexteto, no qual as seis coreográfas e dançarinas trabalham em uma estrutura de improvisação. O desenvolvimento de software na composição da trilha sonora e na interação entre movimentos e sons, investigado em 1331”, perpassa por todo o trabalho. E a relação entre corpo e objetos testada em Olho, bem como, em performances anteriores na trajetória de Margô Assis e Renata Ferreira são dispositivos para a composição coreográfica nesta estreia.

O grupo Dança Multiplex

Multiplex é o modo colaborativo das dançarinas e coreógrafas Margô Assis, Renata Ferreira e Thembi Rosa estabelecerem parcerias para a continuidade das suas pesquisas. Há mais de uma década, o trio desenvolve seus trabalhos se apoiando mutuamente e em diálogo com artistas de diversas áreas.

Em 2006, Renata Ferreira e Thembi Rosa estrearam o duo Regra de Dois, que tem se desmembrado em diversos formatos. E desde 2010, o Dança Multiplex compartilha uma estrutura de produção comum e desenvolve, de modo contínuo, seus projetos colaborativos, além daqueles em parceria com outros artistas.

Multiplex surge em referência ao conceito “unitas-multiplex”, do sociólogo francês Edgard Morin, em relação a emergência do paradigma da complexidade. “Unitas multiplex” é saber pensar o imprevisível, o circular, o recursivo, ou seja, o que escapa às concepções tradicionais de determinação causal e de tempo linear; trata-se de quebrar definitivamente as barreiras disciplinares e de construir uma ciência pluridimensional e transdisciplinar.”

Dança Multiplex foi contemplado pelo Prêmio Cena Minas (2011), FUNARTE – Procultura (2011) pelo Fundo Municipal de Incentivo à Cultura de BH (2010), e pela carteira infantil do edital Rumos Itaú Cultural Dança (2012-2014)

http://cargocollective.com/multiplex

dancamultiplex@gmail.com

Ficha técnica

Concepção, direção e dançarinas: Margô Assis, Renata Ferreira, Thembi Rosa
Criação e dançarinas: Dorothé Depeauw, Sarah Vaz, Tana Guimarães
Desenvolvimento de software: Manuel Guerra
Som: O Grivo
Figurino: Marco Paulo Rolla
Iluminação: Marcel Bento
Produção: Carluccia Carrazza, Giulli Gambogi e Ricardo Malafaia
Assessoria de imprensa: Astronauta Comunicação
Design: Voltz
Fotos: Cecília Pederzoli
Desenvolvimento de site: Cristiano Simões
Financeiro: ProartMinas
Apoio: MargináliaLAB
Realização: Rosa de Jorge e Dança Multiplex

Projeto viabilizado pelo Prêmio FUNARTE – Procultura (2011)

Serviço:

DANÇA MULTILPEX – Cada começo é só continuaçãomargô assis + renata ferreira + thembi rosaconvidados: o grivo + manuel guerra + dorothé depeauw + sarah vaz + tana guimarãesLocal: Funarte MGEndereço: Rua Januária, 68. Floresta – Belo Horizonte/MG Fone: 3213-3084Data: 11 a 21 de abrilHorário: Quinta a domingo às 20hSextas, 12 e 19 de abril às 15h – apresentação para projetos de arte-educaçãoEntrada gratuita – ingressos retirados 1 hora antes do espetáculo – sujeito à lotação do espaçoClassificação: LivreDuração: 45min

Funarte
Fonte Funarte 12/04/2013 ás 9h

Compartilhe

"Cada começo é só continuação", na Funarte MG