Brasil e Canadá avaliam andamento da cooperação bilateral

Fonte Ascom do CNPq 20/03/2013 às 8h

Brasil e Canadá avaliam andamento da cooperação bilateral

Em reunião nesta terça-feira (19), no Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), as delegações de Brasil e Canadá fizeram uma avaliação parcial do acordo-quadro, assinado em 2010, que rege a cooperação técnica no setor de ciência, tecnologia e inovação dos dois países. Entre os temas discutidos, o Plano Inova Empresa e o programa Ciência sem Fronteiras (CsF), a criação de um instituto nacional de pesquisas sobre os oceanos e a parceria institucional na área de nanotecnologia foram destaque.

 

Segundo o secretário de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento (Seped/MCTI), Carlos Nobre, a parceria existente é considerada referência neste setor dentro do governo brasileiro. “Concordo com o embaixador Benedito Fonseca Filho [do Ministério de Relações Exteriores] quando ele diz que esta é uma cooperação modelo para nós. O Canadá contribui ativamente em nossos projetos conjuntos e é um dos países que certamente podemos contar para o desenvolvimento tecnológico nacional”, ressaltou.

Na reunião presidida pelo secretário, as duas delegações fizeram uma avaliação positiva dos projetos em andamento entre as duas nações. “O workshop de nanotecnologia realizado em dezembro foi muito produtivo. A perspectiva é a melhor possível para o próximo”, destacou Nobre, mencionando a segunda edição do evento, prevista para 16 e 17 de maio, no Instituto para Nanotecnologia de Waterloo (WIN, na sigla em inglês), localizado na província de Ontário, no Canadá.

Sobre o Ciência sem Fronteiras (CsF), o diretor de Cooperação Institucional do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI), Manoel Barral, relatou que a experiência dos estudantes brasileiros no Canadá tem sido muito boa. “No total, temos 1.837 bolsas concedidas para aquele país, nas áreas prioritárias do programa, incluindo 821 para as profissionais ligadas a engenharia”, informou. “Na avaliação conjunta, os alunos do CsF estão tendo um desempenho excelente nos projetos em que estão envolvidos.”

Bolsas

Entre as bolsas concedidas para esse destino, 1.607 são referentes à modalidade graduação sanduíche, 99 são de pós-doutorado, 90 de doutorado sanduíche e 44 de doutorado. As áreas que enviam mais estudantes para o intercâmbio no país, além de engenharia, são biologia, ciências biomédicas e da saúde (317) e computação e tecnologias da comunicação e da informação – TICs (163).

“O Brasil está entre as quatro nações do mundo que mantêm em constante evolução a cooperação com seu país, voltada para o setor de ciência, tecnologia e inovação”, enfatizou a vice-ministra do Conselho Privado do Canadá, equivalente à Casa Civil da Presidência da República, Janice Charette.

A ampliação dos temas que abrangem a parceria também foi discutida. Carlos Nobre apresentou para a vice-ministra detalhes do Inova Empresa, com foco na criação da Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii) e o objetivo do governo em promover a inovação em território nacional.

Ascom do CNPq
Fonte Ascom do CNPq 20/03/2013 ás 8h

Compartilhe

Brasil e Canadá avaliam andamento da cooperação bilateral