Berlusconi nega distanciamento entre governo e Estado do Vaticano

Fonte Ansa Flash 19/11/2009 às 0h
O premier italiano, Silvio Berlusconi, negou hoje que seu governo enfrente problemas com o Vaticano, ao afirmar que "não existe nenhum distanciamento, continuamos como sempre, nosso diálogo é quase cotidiano com a Santa Sé".

Em Gdansk, na Polônia, onde participará da cerimônia de recordação dos 70 anos do início da Segunda Guerra Mundial, Berlusconi foi questionado sobre os vínculos entre o governo italiano e o Vaticano após a tensão ocasionada pelo caso de Dino Boffo, diretor do jornal católico Avvenire.

"Leio as coisas sobre a distância e a dificuldade entre o governo e o Vaticano: esta distância não existe e nunca existiu", disse o primeiro-ministro.

As supostas tensões foram ventiladas na imprensa depois da publicação do diário Il Giornali, propriedade da família Berlusconi, na última sexta-feira.

Em um artigo chamado "O supermoralista condenado por abusos" e assinado por seu diretor, Vittorio Feltri, o Il Giornale dizia que Boffo foi processado por uma mulher que o acusou de abuso sexual.

Por sua vez, a Santa Sé demonstrou hoje sua "proximidade e solidariedade" a Boffo e negou que haja qualquer contraposição entre a posição da Conferência Episcopal Italiana (CEI) e a Igreja Católica, como também havia especulado o Il Giornale, já que o jornal vaticano L"Osservatore Romano qualificou de "exageradas" certas posições tomadas pelo Avvenire.

"A tentativa de contrapor a Secretaria de Estado e a Conferência Episcopal não têm consistência", disse o porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi, explicando que "há um acordo entre a Santa Sé e a Igreja na Itália, no respeito das respectivas competências". 
Ansa Flash
Fonte Ansa Flash 19/11/2009 ás 0h

Compartilhe

Berlusconi nega distanciamento entre governo e Estado do Vaticano