Bento XVI pede a nações e a cidadãos que preservem o meio ambiente

Fonte Ansa Flash 19/11/2009 às 0h
O papa Bento XVI dedicou a audiência geral de hoje, no palácio apostólico de Castel Gandolfo, à defesa do meio ambiente, que depende da comunidade internacional e dos indivíduos.

Diante de cerca de 5.500 pessoas, o Pontífice argumentou que é "indispensável transformar o atual modelo de desenvolvimento global assumindo uma responsabilidade maior" com a natureza.

Para ele, os governos e a comunidade internacional devem fazer o que estiver a seu alcance para evitar que a degradação do meio ambiente e que as calamidades naturais se agravem nos países e, principalmente, sobre as populações mais fracas.

Bento XVI falou da necessidade de se assumir um compromisso mais responsável e afirmou que cabe aos governos "dar sinais certos aos cidadãos para que a relação com a natureza não se desenvolva através de comportamentos que sejam prejudiciais".

Neste sentido, o Papa convidou as nações a agirem "conjuntamente em respeito às leis e à solidariedade, sobretudo, em relação às regiões mais fracas da Terra".

O Pontífice também disse que todos devem "agradecer a Deus pelo dom da criação, mas a degradação ambiental e as calamidades naturais nos chamam para a urgência do respeito que devemos ao meio ambiente, valorizando uma relação correta".

"O uso sem coerência da criação começa onde Deus é marginalizado ou onde se nega a sua existência", destacou o Papa, que acredita que a destruição dos recursos naturais está ligada diretamente com a fé.

A questão ecológica, para Bento XVI, também é de "responsabilidade do homem, que é chamado a remodelar ativamente a criação, porém, sem se considerar o seu dono absoluto. Pelo contrário, exercitando um governo responsável para cuidar, aproveitar e cultivar [a natureza], encontrando os recursos necessários para a existência digna de todos".

Joseph Ratzinger fez ainda uma referência a sua última encíclica, "Caritas in Veritate" [Caridade na Verdade, 2009], ao falar sobre a "urgente necessidade moral de uma solidariedade renovada entre os países e os indivíduos". "Quando a ecologia humana é respeitada dentro da sociedade, também a ecologia ambiental se beneficia", concluiu.
Ansa Flash
Fonte Ansa Flash 19/11/2009 ás 0h

Compartilhe

Bento XVI pede a nações e a cidadãos que preservem o meio ambiente