Beleza dos olhos também passa pelo Oftalmologista

Fonte Ecco Press Comunicação 24/03/2013 às 12h

No mês da mulher, especialista do Hospital CEMA explica por que esses profissionais podem ser grandes aliados das cirurgias estéticas oculares

Apesar de ser um procedimento corriqueiro e, na maioria das vezes, com finalidade estética, a cirurgia de correção das pálpebras e a aplicação de toxina botulínica são procedimentos que visam corrigir possíveis alterações patológicas desta região.

As pálpebras são pregas de pele cuja função é proteger o globo ocular e preservar as suas estruturas.

A dermatocalase corresponde ao excesso de pele e gordura tanto nas pálpebras superiores e inferiores, decorrente do processo de envelhecimento sem predileção pelo sexo feminino ou masculino. O acúmulo de pele na região dos olhos pode atrapalhar o campo de visão lateral. As pálpebras inferiores podem levar a um aumento da frouxidão de tecidos musculares e consequentemente quadros de lacrimejamento, que não causam alteração na acuidade visual, mas desconforto para os pacientes.

O blefaroespasmo é uma alteração patológica caracterizada por contrações involuntárias do piscar que, em alguns casos, pode ocasionar aumento da pressão intraocular, além de desconforto visual. Essas alterações podem ser corrigidas com a aplicação da toxina botulínica.

A especialista em Plástica Ocular e Vias Lacrimais do Hospital CEMA, Rita de Cássia Lima Obeid, desmistifica a relação única e exclusiva da plástica ocular com a cirurgia estética e fala da importância destes procedimentos para a preservação da saúde dos olhos.

Segundo a médica, quando esses sintomas começam a atrapalhar a qualidade da visão e o bem-estar, é sinal de que o oftalmologista deve ser procurado. O diagnóstico deve ser realizado preferentemente com a ajuda de um profissional da área de Plástica Ocular, bem como os procedimentos cirúrgicos para assim minimizar possíveis alterações patológicas.

“Hoje em dia é muito frequente esses procedimentos serem realizados pelo oftalmologista especializado nesta área. A má prática cirúrgica da correção das pálpebras pode levar a lesões oculares que variam desde alterações estéticas a úlceras de córnea e situações extremas, como a perda de visão”, afirma a especialista do CEMA.

Outra prática muito relacionada com a vaidade é a aplicação de toxina botulínica para a correção de rugas laterais ou entre as sobrancelhas que são um verdadeiro incômodo para as mulheres. “Complicações como ptose, ou seja, pálpebra caída, assimetrias faciais e até visão dupla são situações frequentes, mas reversíveis e requerem cuidado e técnica na aplicação da toxina botulínica”, ressalta a Dra. Rita.

A cirurgia para correção das pálpebras também chamada de blefaroplastia é realizada com anestesia local e sedação em ambiente cirúrgico com avaliação clínica prévia. O paciente vai embora no mesmo dia e o repouso varia em média de uma a duas semanas, dependendo de cada caso especificamente. Já a aplicação da toxina botulínica é feita no consultório, não necessitando de internação.

Independentemente da finalidade, estética ou patológica, o médico especialista realiza o procedimento priorizando preservar a saúde ocular e sequencialmente aspectos estéticos.

Sobre o CEMA

O Hospital CEMA, referência no atendimento especializado de olhos, ouvidos, nariz e garganta há quase 40 anos, está localizado na Rua do Oratório, 1.369, na Mooca. Atende os mais variados planos de saúde e mantém a unidade e o pronto atendimento funcionando 24 horas, 7 dias por semana.

Para mais informações sobre o Hospital e o Instituto CEMA, acesse: http://www.cemahospital.com.br

Ecco Press Comunicação
Fonte Ecco Press Comunicação 24/03/2013 ás 12h

Compartilhe

Beleza dos olhos também passa pelo Oftalmologista