Baía de Guanabara integra pesquisa ecológica de longa duração

Fonte Ascom do LNCC 13/03/2013 às 8h

Margeada pelas cidades fluminenses do Rio de Janeiro, Duque de Caxias, São Gonçalo, Niterói e por outros municípios menores, a Baía de Guanabara integra programa de Pesquisas Ecológicas de Longa Duração (Peld) do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI).

 

O Peld Guanabara tem foco na compreensão da estrutura e funcionamento, na influência sofrida pela ação humana e nas alterações climáticas da região. O objetivo é estabelecer, por meio de estudo contínuo de longo prazo e de experiências in situ e in vitro, um prognóstico da tendência evolutiva desse ecossistema, a partir da elaboração de uma base de dados relacional e de um modelo ecológico de previsão.

O projeto agrega parcerias nacionais e internacionais, que viabilizaram a instalação de um banco de dados que possibilita a inserção e a integração das pesquisas ecológicas de longa duração em rede.

Parcerias

O Laboratório de Dados Extreme, do Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC/MCTI), vem atuando como Instituição parceira nos últimos anos. Com um grupo de modelagem e ecologia numérica, o laboratório desenvolve modelos e métodos matemáticos direcionados à simulação de ecossistemas.

O Laboratório de Dados Extreme participa com estudos quantitativos e qualitativos de processos ecológicos, por meio do desenvolvimento e resolução computacional de modelos matemáticos, que resultam em simulações que são, em seguida, comparadas e validadas a dados experimentais obtidos a partir de um banco de dados elaborado especificamente para o Peld. Em paralelo, estudos correlacionados entre ecossistemas e aspectos físico-químicos do meio são executados como forma de prever impactos da atividade humana em uma dada região.

O laboratório conta com um grupo de pesquisadores na área de Modelagem Ecológica que desenvolve e disponibiliza um banco de dados que coletará e simulará os dados ecológicos em uma aplicação Web de atualização, carga e consulta à base de dados.

O projeto do banco de dados desenvolve-se em três fases: modelagem conceitual, modelagem lógica e modelagem física do banco de dados. Com base na análise de informações é elaborado o modelo conceitual de dados que exprime os relacionamentos e as restrições encontrados. O resultado da modelagem conceitual serve para a concepção do modelo lógico no banco de dados.

A Baía

Com uma superfície de cerca de 400 quilômetros quadrados, a profundidade da Baía de Guanabara varia de 50 metros até menos de 1 metro nas áreas próximas às margens.

A circulação da água é essencialmente influenciada pelas correntes de maré. A contribuição em água doce, oriunda dos 35 rios de pequeno porte e, sobretudo, dos efluentes urbanos e industriais, aliada às intrusões de água oceânica causadas pela maré, repercute nas suas características hidrológicas.

A Baía de Guanabara constitui, como todo estuário tropical, uma importante área de berçário, alimentação e proteção para vários recursos vivos. Apesar do precário estado ambiental atual, ainda possui intensa atividade pesqueira comercial e uma biota significativa.

O Peld

O programa de Pesquisas Ecológicas de Longa Duração promove a organização e a consolidação de informações sobre a composição e o funcionamento dos ecossistemas brasileiros. Por meio de estudo de casos, a iniciativa contribui para a resolução de problemas ecológicos e socioeconômicos nacionais.

O Peld é formado por uma rede de instituições que estudam os diferentes ecossistemas brasileiros com objetivo de compreender e prever mudanças ambientais. As informações coletadas são comparadas de forma colaborativa entre os integrantes da rede, que viabilizam a compreensão dos dados obtidos impulsionando a pesquisa para novas descobertas.

Para saber mais sobre o programa, acesse o site do Peld Guanabara.

Ascom do LNCC
Fonte Ascom do LNCC 13/03/2013 ás 8h

Compartilhe

Baía de Guanabara integra pesquisa ecológica de longa duração