Aviões reforçam combate ao fogo no Taim

Fonte Comunicação ICMBio 31/03/2013 às 20h

Brasília – A Estação Ecológica (Esec) do Taim, localizada no Rio Grande do Sul, gerida pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), vai receber o reforço de dois aviões para ajudar no combate ao incêndio que atinge a unidade. As aeronaves foram deslocadas da Bahia e têm capacidade de dois mil litros, cada uma. Contratadas pelo ICMBio, elas  chegaram no final da tarde da quinta (28).

O incêndio começou na terça-feira (26) e já atingiu uma área de pelo menos 1,400 hectares da unidade de conservação (UC). O fogo ocorre em um banhado. local é de difícil acesso. Duas aeronaves agrícolas, com capacidade de 600 litros cada, ajudam no combate às chamas. Uma base foi montada em uma fazenda para que os aviões possam ser abastecidos com água.

Segundo o chefe da Esec do Taim, Henrique Ilha, o incêndio agora está sendo combatido por terra e ar. Foi criada uma barreira de contenção na vegetação destinada a evitar a expansão do fogo para o banhado norte.

“Estamos combatendo o fogo por terra. São aproximadamente 50 pessoas da brigada de incêndio e apoio. O objetivo é conter as chamas e evitar que elas se espalhem para o lado norte do banhando da UC”, declarou o chefe.

A reserva

Criada em 1986, a Estação Ecológica do Taim ocupa áreas dos municípios de Santa Vitória do Palmar e Rio Grande (RS), entre a Lagoa Mirim e o Oceano Atlântico, próximo do Arroio Chuí, na fronteira do Uruguai. Um dos principais motivos para a criação da Esec foi o fato de ser local de passagem de várias espécies de animais migratórios, principalmente, aves vindas da Patagônia. Lá, elas descansam, fazem ninhos e se desenvolvem, antes de seguir viagem. Sem a UC esses animais correriam risco de extinção.

Na parte norte da estação, há uma pequena floresta, que constitui uma verdadeira preciosidade ecológica. As árvores dominantes são a figueira nativa (Ficus organensis) e a corticeira (Erythrina sp) das quais pendem barbas-de-velho que causam efeito decorativo. Nas árvores há também lindas orquídeas, sendo a principal a Cattleya intermedia.

No banhado, que constitui a maior parte da Esec, domina o junco (Sairpus ca/ifornicus). Estão presentes, também, plantas que boiam nas águas como o aguapé (Eichornia crasnpes), a Pistia stratiotes, a erva-de-santa-luzia, além de gramíneas diversas. Dentre estas foram assinaladas a Paspalum e a Spartina de porte elevado, que ocupam grandes áreas do banhado. Muitas delas oferecem refúgio para diversas espécies de aves e mamíferos.

A Estação Ecológica do Taim protege uma fauna variada como o jacaré-de-papo-amarelo (Caiman atirostris). A principal ave é o cisne-de-pescoço-preto (Cygnus melancoryphus), o único cisne verdadeiro do continente sul-americano e um dos mais bonitos do mundo, que é a grande estrela da avifauna do Taim.

 

Comunicação ICMBio
Fonte Comunicação ICMBio 31/03/2013 ás 20h

Compartilhe

Aviões reforçam combate ao fogo no Taim