Atletas do basquete visitam o Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha

Fonte Agência Brasília 01/03/2013 às 21h
 
Atletas do basquete visitam o Estádio Nacional de Brasília Mané GarrinchaFoto: Lula Lopes
 

Jogadores ficaram impressionados com a obra da Ecoarena, que será palco da abertura da Copa das Confederações da FIFA 2013, em 15 de junho

 

O conceito de arena multiuso do Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha foi destaque na visita de atletas da Liga Nacional de Basquete, nesta sexta-feira, ao canteiro de obras. Dez dos 24 jogadores que participarão neste sábado (2) do Jogo das Estrelas 2013, no Ginásio Nilson Nelson, às 10h, conheceram a obra e falaram sobre os sonhos de, um dia, lotar o estádio com um espetáculo de basquete.

Os atletas foram recepcionados pelo secretário Extraordinário da Copa, Claudio Monteiro; o secretário de Esporte, Julio Ribeiro, e o coordenador da Secretaria Extraordinária da Copa, Sérgio Graça. Eles assistiram a uma apresentação sobre o estádio, que detalhou o projeto multiuso e o caráter sustentável da construção. A arena de Brasília poderá atingir o nível máximo de sustentabilidade e, assim, ser a única do mundo a receber o certificado Leed Platinum.

"Apresentamos aos atletas o conceito primordial do nosso projeto, que é o da sustentabilidade. Estamos construindo uma arena multiuso que representará a vinda de investimentos importantes para o desenvolvimento dos setores de Serviços e Turismo no Distrito Federal. O estádio poderá receber grandes espetáculos, sejam jogos ou shows, nacionais ou internacionais", afirmou o secretário Claudio Monteiro.

Sucesso – Nos últimos anos, houve aumento do interesse pelo basquete na capital federal, graças ao sucesso do time tricampeão do Novo Basquete Brasil, UniCeub/Brasília/BRB (patrocinado pelo GDF). Esse é um dos motivos que resultaram na vinda do Jogo das Estrelas 2013 para Brasília. Além da partida principal neste sábado, entre os times do NBB Brasil e do NBB Mundo, com as principais estrelas do país e estrangeiras do campeonato, nesta sexta, às 21h, os atletas participarão do Desafio de Habilidade e dos torneios de 3 Pontos e Enterradas.

"O basquete foi ganhando espaço aqui em Brasília. Acompanhei essa trajetória e me orgulho disso. Brasília é a capital do basquete, não apenas pelos títulos, mas pelo público que vem seguindo o time (UniCeub/Brasília/BRB)", disse o secretário de Esporte, Julio Ribeiro.

Mesmo residindo em Brasília, o ala do UniCeub/Brasília/BRB Rossi ainda não havia tido a oportunidade de visitar o Estádio Nacional. Ele se declarou orgulhoso em conhecer o futuro palco da abertura da Copa das Confederações da FIFA 2013 e de sete jogos da Copa do Mundo da FIFA 2014.

"O coração começou a bater mais forte quando entrei aqui. É um momento emocionante que vai ficar marcado na minha vida. Já imagino os torcedores, o grito das torcidas, aquela festa bonita. Sinto orgulho e felicidade em ver de perto a obra e saber que ela será entregue no prazo. Brasília merece uma arena assim", disse o jogador, que até sugeriu tentar bater o recorde de público em um jogo de basquete. "Quem sabe não poderemos ter um público de 70 mil pessoas assistindo a um jogo de basquete aqui? Pelo que eu conheço da torcida de Brasília, eles são capazes de lotar esse estádio para apoiar o time. É um desafio que eles topariam e venceriam", ressaltou.

Participaram da visita Rossi (UniCeub/Brasília/BRB), Helinho (Uberlândia), Gustavinho (Mogi das Cruzes), Victor Correia (Joinville), Bruno Irygoien (Minas), Guto (Palmeiras), Matheus Dalla (Limeira), Matheus (Basquete Cearense), Marcellus (Tijuca) e Fernando Penna (Pinheiros).

Andamento – A construção do Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha está 90% concluída. A obra segue em ritmo acelerado e cumpre o cronograma estabelecido pela FIFA. A arena será palco, em 15 de junho, da abertura da Copa das Confederações da FIFA 2013 e receberá o número máximo de jogos da Copa do Mundo da FIFA 2014, sete ao todo.

O conceito de arena verde começou ainda na criação do projeto. São usados materiais recicláveis ou reciclados na construção. Tudo o que saiu do antigo estádio foi reaproveitado na própria obra ou em cooperativas de reciclagem do Distrito Federal.

Com 71 mil assentos, o estádio terá uma cobertura especial, que filtra a poluição de mil carros por dia, reflete os raios ultravioleta e ainda permite a passagem de iluminação natural, o que reduz a necessidade do uso de ar-condicionado ou outro tipo de ventilação artificial.

Um dos diferenciais da Ecoarena é a distância de apenas 7,5m do campo de futebol e o rebaixamento do campo em 4,8m de sua altura original, o que permitirá maior visibilidade em todos os pontos do estádio e dará à torcida a impressão de estar praticamente dentro do campo.

Agência Brasília
Fonte Agência Brasília 01/03/2013 ás 21h

Compartilhe

Atletas do basquete visitam o Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha