Atendimento oncológico é ampliado em Recife

Fonte Agência Saúde 24/05/2013 às 15h

Foi inaugurado nesta sexta-feira o novo centro do IMIP que atende a pacientes com câncer de mama. O Ministério da Saúde também entregou mais 47 ambulâncias para reforçar o SAMU 192 no estado

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, inaugurou nesta sexta-feira (24) o novo Centro de Diagnóstico e Tratamento do Câncer de Mama do Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (IMIP). O Ministério da Saúde destina mais de R$ 20 milhões ao ano ao IMIP para a realização de quimioterapia e radioterapia. Em 2012, o Instituto realizou 19.097 procedimentos de quimioterapia e 82.638 de radioterapia.

A inauguração ocorre um dia depois de entrar em vigar a Lei 12.732/12, que assegura aos pacientes com câncer o início do tratamento em no máximo 60 dias após a inclusão da doença em seu prontuário, no Sistema Único de Saúde (SUS). “O câncer é uma doença que gera sofrimento para o paciente e gera sofrimento para a família, mas a única chance de enfrenta-lo é fazer o diagnóstico precoce. E estamos assumindo desde ontem mais uma responsabilidade, para que a gente garanta a todos os brasileiros o começo do tratamento em 60 dias. Isso vai ser decisivo para a cura e decisivo para melhoria da qualidade de vida”, destacou Padilha.

Com a ampliação, o serviço em Recife terá capacidade para atender mais de 36 mil pacientes ao ano, além de realizar 2 mil mamografias, 800 consultas, 800 ultrassonografias, 400 biópsias por mês. Desde o ano passado, o Centro de Diagnóstico e Tratamento do Câncer de Mama vem investindo na ampliação do acesso à assistência. Em dezembro, o serviço criou o terceiro turno para aumentar a capacidade de atendimentos de quimioterapia e radioterapia, com isso diminuindo o tempo de espera pelo tratamento. Por turno, são atendidos cerca de 80 pacientes.

Para melhorar o atendimento e ampliar o acesso aos serviços oncológicos disponibilizados no SUS, o Ministério da Saúde tem investindo cada vez mais no setor. Nos últimos três anos, os gastos federais com assistência oncológica no país aumentaram 26%, passando de R$ 1,9 bilhão (em 2010) para R$ 2,4 bilhões, no ano passado. Os valores aplicados na atenção oncológica englobam exames, cirurgias, radioterapia e quimioterapia. Até 2014, o MS vai investir R$ 4,5 bilhões no setor.

Em 2012, o Ministério da Saúde anunciou o Plano de Expansão da Radioterapia, com investimento de R$ 505 milhões para compra de 80 aceleradores lineares, obras de ampliação e criação de serviços em estados que não disponibilizam desses equipamentos. Ao todo, 41 serviços de radioterapia serão criados no Brasil e 39 unidades serão ampliadas, o Centro de Diagnóstico e Tratamento do Câncer de Mama está dentro do plano de expansão para ampliação do serviço. Os investimentos permitirão expandir em 32,5% a rede de serviços de radioterapia no SUS – de 148 serviços existentes para 196.

SAMU –Também nesta sexta-feira, o ministro Alexandre Padilha entregou 47 unidades de ambulâncias do Serviço de Atendimento de Urgência e Emergência (SAMU 192) a Pernambuco. O investimento total na aquisição das ambulâncias e equipamentos foi de R$ 6,1 milhões.

As ambulâncias entregues nessa remessa serão usadas para recompor a frota da cidade, garantindo a melhoria do atendimento à população. As ambulâncias serão destinadas a 43 municípios que serão regulados pela Central de Regulação das Urgências de Recife. Entre 2006 e 2012, a cidade de Recife recebeu do Ministério da Saúde 28 unidades móveis, sendo 19 USB, quatro USA, duas para renovação de frota, além de três motos. Além disso, compõe o serviço uma Central de Regulação das Urgências para organizar os fluxos de atendimento aos pacientes que necessitam do SAMU na capital.

O SAMU integra a rede Saúde Toda Hora, que organiza a atenção às urgências e emergências no SUS. Nessa estratégia, a unidade móvel é responsável pelo atendimento inicial ao paciente, bem como pela avaliação e encaminhamento para o serviço ou hospital mais adequado, de acordo com a gravidade de cada caso. Esse encaminhamento é gerenciado pela Central de Regulação, que orienta para onde o paciente deve ser levado, após checagem junto aos hospitais que podem prestar o atendimento de urgência e emergência.

ESTADO -Atualmente, o estado de Pernambuco possui três Centrais de Regulação de Urgências, sendo uma com sede em Recife, e as outras duas localizadas no município de Caruaru e Petrolina, que juntas, cobrem 61,3% da população do estado (5,4 milhões de habitantes). Entre 2006 e 2012, o Ministério da Saúde enviou para o Estado de Pernambuco, 106 unidades móveis, sendo 79 USB e 18 USA, além de duas unidades para renovação de frota e mais nove motos. O custeio do SAMU 192 repassado no ano de 2012 foi de R$ 18,8 milhões.

Agência Saúde
Fonte Agência Saúde 24/05/2013 ás 15h

Compartilhe

Atendimento oncológico é ampliado em Recife