Associação italiana de automobilismo aprova punições contra a Renault

Fonte Ansa Flash 19/11/2009 às 0h
O presidente da associação Automobile Club d"Italia (ACI), Enrico Gelpi, disse estar satisfeito com a decisão tomada hoje pela Federação Internacional de Automobilismo (FIA) em relação a Renault.

"Uma sentença dura, mas [correta, ndr.] diante da gravidade do fato, injustificável e fora de qualquer limite ético", disse Gelpi.

Segundo o presidente da ACI, a decisão da FIA foi uma "justa punição a uma fraude esportiva sem precedentes que poderia acarretar graves consequências a incolumidade do piloto envolvido, aos outros pilotos da corrida, aos comissários e ao público".

Após uma audiência realizada esta manhã em Paris, o Conselho Mundial da FIA anunciou as advertências contra a escuderia francesa por orientar o piloto brasileiro Nelsinho Piquet a causar um acidente na temporada 2008 de Fórmula 1 para fazer seu piloto Fernando Alonso vencer o Grande Prêmio de Cingapura.

A Renault recebeu uma suspensão de dois anos, que não precisará ser cumprida porque a escuderia ajudou nas investigações. No entanto, caso a equipe francesa cometa irregularidades, fica sujeita à punição.

A maior pena foi a do italiano Flavio Briatore, denunciado por Nelsinho como o mentor do acidente, ao lado do engenheiro Pat Symonds.

Briatore, que deixou na semana passada o cargo de chefe de equipe, foi banido do esporte e proibido até de ser empresário de algum piloto. Symonds, por sua parte, recebeu uma suspensão de cinco anos.

"Este episódio é um sintoma de que a Fórmula 1 perdeu em alguns âmbitos o sentido da medida, terminando por penalizar construtores e escuderias de alto valor técnico e de excelência mundial como a Ferrari", comentou Gelpi.

De acordo com o presidente da ACI, a F1 deve passar por algumas revisões, incluindo escuderias, pilotos, organizadores e construtoras, sob coordenação de uma FIA "forte, autorregulatória e transparente".

"Como ACI, já estamos trabalhando para alcançar estes objetivos junto com o candidato à presidência Jean Todt, que acredito ser uma pessoa justa para guiar a FIA do futuro, pela capacidade, competência e profissionalismo já demonstrada", disse Gelpi, referindo-se ao candidato a sucessor de Max Mosley, presidente da FIA.
Ansa Flash
Fonte Ansa Flash 19/11/2009 ás 0h

Compartilhe

Associação italiana de automobilismo aprova punições contra a Renault