Assentamento no MS é referência em produção de carne suína

Fonte Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária 05/08/2014 às 22h
Projeto de Assentamento Campanário, implantado na cidade de São Gabriel do Oeste, a 180 quilômetros de Campo Grande (MS), possui atualmente com 21 suinicultores. No total, são 132 famílias de assentados pelo Incra que, segundo o assentado Jair Borgman, estão "vivendo muito bem e nem em pensamento pode ser comparado àquela vida difícil de sem-terra acampados em barracas de lona plástica às margens das rodovias."

Jair é presidente da Cooperativa Agropecuária de São Gabriel do Oeste (Cooasgo), que em 2007, assumiu toda responsabilidade de oito famílias locais, para iniciar a produção de suínos, principal atividade do assentamento. "O Incra apoiou, o negócio cresceu e apenas essa atividade rende quase R$ 8 mil/mês para cada uma dessas famílias. Os outros que ainda não estão na suinicultura, também não estão tristes, pois produzem milho, soja, algodão, além de leite, frango e porcos caipiras, ovos, frutas, verduras e legumes - obtendo faturamento entre R$ 6 a R$ 7 mil/mês líquidos. De qualquer forma, não existe um inadimplente sequer, entre os assentados, seja na Coasgo, nos bancos, no comércio local, ou junto aos fornecedores", afirma.

De acordo com Borgman, mesmo com cada barracão para produção de mil suínos custando R$ 400 mil os assentados entraram nesta dívida (financiada pela Cooperativa Aurora) sem medo. Atualmente o assentamento produz 20% dos 2.500 suínos/dia abatidos diariamente pela Cooperativa Aurora. Essa organização nacional tem como intermediária a Cooasgo, criada pelos assentados do Campanário e acabou sendo abrigo de todos os produtores rurais do município. Esse consumo de 2.500/dia vai passar para 3.500/dia em 2015, quando a fábrica da Aurora começar a produção de presunto na cidade, exigindo mais barracões, mais produtores do gênero, e consequentemente, gerando mais oportunidade de crescimento social e econômico.

Vanderlei Carlos Schmitz, outro assentado do Campanário, disse que começou a produção "há uns quatro anos". Foi aos poucos e já entrega a cada 110 dias para a Aurora, 2.300 suínos, conforme disse, ressaltando: "Eu estou na fila da Aurora para novas admissões de produtores". Schmitz acredita que o cooperativismo é o melhor caminho para os assentados da reforma agrária melhorar as condições de vida. "Nossos companheiros de assentamentos têm filhos estudando em faculdades particulares, fora de São Gabriel do Oeste e até no exterior. Nossas mesas são fartas de alimentos, tirados dessa terra. Temos sempre um dia melhor que o outro".

Festa do Porco no Rolete

Todo esse panorama positivo é demonstrado publicamente pelo menos uma vez por ano, sempre no mês de agosto quando acontece a Festa do Porco no Rolete, uma das maiores atrações turística de Mato Grosso do Sul. Pelo menos 30 mil pessoas participaram do evento, que teve sua 21ª edição realizada no último final de semana, com o consumo de 2.400 leitões assados. Cada pessoa pagou R$ 20,00 para comer à vontade, a exemplo dos moradores do Campanário que participaram em peso da festa.

Durante o evento, o presidente nacional da Aurora, Mario Lanz, informou que a Cooperativa está concluindo a aplicação de R$ 1 milhão este ano na ampliação da indústria para a fabricação de presunto, em São Gabriel do Oeste. Lanz afirmou ainda que com o investimento deve haver aumento de mil abates/dia. "Meu desejo é que o Projeto de Assentamento Campanário, vire exemplo bem sucedido, com oportunidades de crescer”, disse.


Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária
Fonte Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária 05/08/2014 ás 22h

Compartilhe

Assentamento no MS é referência em produção de carne suína