"As pessoas simplesmente não se dão conta de que gastam água potável para escoar fezes e urina", afirma especialista

Fonte Tree Comunicação 11/08/2014 às 12h
Segundo dados da Agência Nacional de Águas (ANA), 55% dos municípios brasileiros poderão ter déficit no abastecimento de água em 2015

São Paulo, agosto de 2014 - Muito tem se falado sobre a grave crise de abastecimento de água em São Paulo, uma das maiores da história. No entanto, esta questão não afeta somente um Estado. Segundo dados da Agência Nacional de Águas (ANA), 55% dos municípios brasileiros poderão ter déficit no abastecimento de água em 2015. Número que assusta quando falamos do país com o maior potencial hídrico do planeta - o Brasil possui 13% da água potável do mundo. E o desperdício é um dos grandes pilares desse problema: o País tem uma perda média de cerca de 40% na oferta de água tratada.

Mas o que é desperdício? Esquecer a torneira pingando? Lavar a calçada com mangueira? Certamente que sim. No entanto, pouco se fala da descarga, que nem é calculada como desperdício. "Vasos convencionais consomem em média entre 6 e 12 litros por descarga, enquanto o sistema a vácuo consome apenas 1,2 litro. Falamos aqui em até 90% de economia de água. O Brasil tem mais de 200 milhões de habitantes, não sei quantas vezes eles vão ao banheiro, mas certamente dá para ter uma ideia da proporção de água utilizada, ou melhor, desperdiçada", explica Jean Pierre Bernard, diretor no Brasil da Bvst-Evac, empresa referência mundial em soluções ecológicas e sustentáveis.

No sistema Evac, a água é utilizada apenas para higienização da bacia, já que o esgoto é transportado pelo ar aproveitando-se das diferenças de pressão do sistema. "É como os vasos dos aviões. É uma solução simples, utiliza a mesma lógica de um desentupidor: o vácuo. Só que o ser humano é resistente a mudanças. Estamos correndo risco de ficar sem água para beber e as pessoas não se dão conta de que gastam água potável para escoar fezes e urina", pontua Bernard.

As vantagens do sistema de coleta de esgoto a vácuo comparado com o sistema convencional não são apenas econômicas. Além de reduzir o consumo de água e de energia elétrica (nos projetos verticais, a água economizada não precisa ser transportada até o alto do prédio, gerando uma redução no consumo de energia elétrica) a solução da Evac é também mais ecológica. Menos consumo de água significa menos esgoto gerado para ser tratado. Além disso, por ser um sistema fechado é mais higiênico, pois evita a introdução de insetos na tubulação. Destaca-se ainda sua eficiência, já que o a sucção do vácuo gera uma considerável redução de entupimentos e do número de intervenções na rede de esgoto. Ademais facilita o trabalho do arquiteto/decorador e do engenheiro por permitir elevar os efluentes em até 6 metros e as tubulações poderem contornar vigas, e dutos de ar condicionado ... e transpor longas distancias sem necessidade de estações elevatórias por não depender da gravidade.

Sobre a Bvst-Evac

Presente em mais de 40 países, a Evac é referência mundial em soluções ecológicas e sustentáveis com seus sistemas de coleta de esgoto a vácuo e tratamento de efluentes domésticos e industriais.

Com seus produtos presentes no Brasil há mais de 15 anos pela ação de brasileiros interessados em trazer soluções ecológicas, a empresa chegou ao Brasil em 2012 com a criação da Bvst-Evac, permitindo, assim, o atendimento do mercado nacional diretamente por uma estrutura 100% brasileira. Diversas empresas e instituições do Brasil já utilizam o sistema da companhia e reduziram em até 90% o consumo da água dos vasos sanitários : Petrobrás (diversas prédios e plataformas), Centro Administrativo de Minas Gerais (MG), Tribunal Superior Eleitoral (DF), Sesc (RJ), Natura Cosméticos (SP), Senado Federal (DF), Toyota (SP), Vivo Celular (SP), Shopping Frei Caneca (SP), Aeroporto Santos Dumont (RJ), Shoppings Riomar (PE e CE), BMF (SP) e mais de 100 edifícios.
Tree Comunicação
Fonte Tree Comunicação 11/08/2014 ás 12h

Compartilhe

"As pessoas simplesmente não se dão conta de que gastam água potável para escoar fezes e urina", afirma especialista