Após mal-estar com o Peru, ministro chileno diz que não se meterá na política externa

Fonte Ansa Flash 19/11/2009 às 0h
O ministro chileno da Defesa, Francisco Vidal, afirmou que "nunca mais" irá abordar temas de política internacional, após ter gerado um mal-estar entre o governo de seu país e o Peru por uma declaração na reunião ministerial da União das Nações Sul-Americanas (Unasul) na última semana.

Na ocasião, o ministro criticou a proposta apresentada pelo presidente peruano, Alan García, de um pacto de não agressão militar entre os países da região, comparando a sugestão com o acordo firmado na Segunda Guerra Mundial entre os líderes da Rússia e da Alemanha, Josef Stalin e Adolf Hitler, respectivamente.

"Eu, como ministro da Defesa, não vou mais falar uma vírgula de política externa. Para isto existe o chanceler e o porta-voz", disse Vidal. "O melhor para o Chile é que o ministro da Defesa não fale de política externa, e esta será a minha conduta", garantiu.

O ministro chileno das Relações Exteriores, Mariano Fernández, já tinha desconsiderado as palavras de Vidal, comentando que elas foram proferidas "a título pessoal".

"Vidal expressou uma opinião pessoal. A nós, como Governo, parece que nenhum país pretende agredir o outro. Portanto, mais que um pacto de não agressão, nós queremos insistir em um pacto de cooperação entre as distintas Forças Armadas", declarou o chanceler, retomando proposta feita ontem pela presidente do país, Michelle Bachelet.

Segundo publicou hoje o jornal El Mercurio, citando fontes do governo, o Ministério das Relações Exteriores do Chile teria expressado a inconveniência de que titulares de outras pastas emitam opiniões sobre temas que afetam as relações com países vizinhos, principalmente com o Peru, uma vez que qualquer comentário pode "servir para exageros".

Ainda de acordo com a imprensa chilena, a declaração de Vidal teria causado a indignação do governo peruano que, em resposta, teria ordenado que seus funcionários não participassem da celebração realizada na última sexta-feira na Embaixada chilena em Lima, em homenagem ao libertador Bernardo O"Higgins, o que foi negado pela Chancelaria peruana.

O governo chileno está esperando uma explicação formal para a ausência, atribuída a "um erro" pelo embaixador peruano em Santiago, Carlos Pareja.

A reunião da Unasul ocorreu no último dia 15 e reuniu ministros da Defesa e das Relações Exteriores da região para analisar tratados militares firmados com países que não são da América do Sul, especialmente o acordo entre Colômbia e Estados Unidos.
Ansa Flash
Fonte Ansa Flash 19/11/2009 ás 0h

Compartilhe

Após mal-estar com o Peru, ministro chileno diz que não se meterá na política externa