APAS apresenta pesquisa inédita sobre tendências do consumidor

Fonte Approach 07/05/2013 às 20h

Mudanças no comportamento de consumo das famílias na última década são apontadas durante a abertura da 29ª edição da maior feira mundial do setor supermercadista.

São Paulo, 06 de maior de 2013 - A Associação Paulista de Supermercados (APAS) apresentou pesquisa inédita sobre tendências de consumo e perfil do consumidor durante a abertura da APAS 2013 - 29º Congresso e Feira de Negócios em Supermercados. A pesquisa é realizada em parceria com a Nielsen e Kantar Worldpanel, com coordenação da Faculdade Getúlio Vargas (FGV). O estudo foi apresentado pelo presidente da APAS João Galassi, acompanhado pelo presidente da Associação Brasileira de Supermercados (Abras) Fernando Yamada, pelo diretor de Economia e Pesquisa da APAS Dinis Dias e o gerente do Departamento de Economia e Pesquisa da associação Rodrigo Mariano.

A pesquisa mostrou que o crescimento do setor em 2012 está associado ao desempenho econômico do Brasil no mesmo período. Já nos últimos dez anos, o crescimento do Brasil esteve diretamente relacionado ao crescimento do consumo das famílias. Com base no ambiente econômico, João Galassi destacou os cinco pilares que determinam a evolução do varejo, nas áreas de economia, demografia, consumidor/shopper, tecnologia e sustentabilidade.

O destaque ficou por conta da forte presença do setor de serviços, que representa 68% de participação do PIB. Foi observado, ainda, que esse desempenho no consumo aconteceu de maneira sustentável ao longo do tempo e está diretamente relacionado à classe média, principal responsável pelo crescimento econômico do Brasil.

A pesquisa mostrou, também, uma inversão no padrão de consumo. Comparativamente, o crescimento se deu de forma paralela ao crescimento da classe média. Em 2003, a classe C respondia por 37% da população; em 2012, sua composição subiu para 55% e é essa emergente classe média que vem ditando o consumo das famílias, conforme apontou a pesquisa.

O crescimento continuo do mercado interno, embora desacelerado em 2012, se manteve no setor de comércio e serviços. O conjunto de vetores que auxiliaram nesse processo foi a ascensão da classe média, estabilidade econômica e política, futuro poder de consumo e composição de 82% da população urbana, aliados a políticas de estímulo ao setor como desoneração da cesta básica e redução histórica dos juros.

"A inserção de 6 milhões de novos domicílios no consumo atingiu, em 2012, o patamar de 48 milhões de lares", analisa Mariano.

Consumo mais saudável e consciente
Os dados mostraram, também, que o apelo do que faz bem cada vez mais funciona e já faz parte do padrão de consumo nos lares. Segundo Galassi, isso implica em significantes mudanças comportamentais não observadas em anos anteriores.
"Tivemos a inclusão de alimentos na lista do consumidor não observados antes. A água de coco, por exemplo, chegou a 2,2 milhões de residências. Ainda na lista produtos benéficos à saúde, produtos integrais, funcionais e saudáveis tiveram forte apelo na escolha do consumidor".

O cliente também está mais consciente. As informações apontaram que 69% das pessoas gostariam que os produtos de alimentação ajudassem a manter a saúde. "O padrão de consumidor crê que o produto tem que ser funcional. A saudabilidade é o fator principal na hora do consumidor tomar a decisão de consumo", releva o presidente da APAS.

O executivo aposta, ainda, que para 2013, o faturamento com foco na saudabilidade alcance R$ 80 bilhões.

Consumidores continuam otimistas, aponta pesquisa da APAS

A Pesquisa de Confiança dos Supermercados do estado de São Paulo apontou que, no atual contexto, o Brasil continua com o mais alto índice de confiança do consumidor entre os países da América Latina, à frente, inclusive, de países como Chile e México. Essa relação de confiança atrelada à economia do país reflete o consumo das famílias em bens duráveis e, em menor medida, de bens não duráveis.

Combate à inflação

Os dados apontam um leve resquício de inflação no setor de serviços que interfere nos hábitos de consumo. Por outro lado, os dados mais recentes do Índice de Preços dos Supermercados (IPS), medido pela APAS junto com a Fipe, que compõem mais de 2.300 itens, mostrou uma desaceleração dos preços.

"Para o mês de abril, tivemos uma desaceleração de 0,90% da cesta básica. Isso foi resultado da desoneração da cesta básica", revelou Galassi, mostrando que a associação está alinhada aos anseios do governo.

Dados Brasil

Segundo o presidente da Abras Fernando Yamada, em 2012 o setor supermercadista teve um faturamento de R$ 242,9 bilhões. Para o futuro, o executivo se mantém otimista:
"Até o início de 2014 nós temos dois cenários: atingir 5,5% do PIB do país e chegar a R$ 264 bilhões e dentro de um projeto mais audacioso nós queremos chegar a 5,8% do PIB que é de R$ 277 bilhões. Até o final de 2014, nossa grande proposta é chegar a um faturamento de R$ 313 bilhões, que será de 6% do PIB", prevê.

Sobre a APAS - A Associação Paulista de Supermercados representa o setor supermercadista no Estado de São Paulo e busca integrar toda a cadeia de abastecimento. A entidade conta com 1.200 associados, que somam 2.700 lojas.

Serviço
APAS 2013 - 29º Congresso e Feira de Negócios em Supermercados
Quando: de 6 a 9 de maio
De 6 a 8 de maio, das 14h às 22h; dia 9 de maio, das 14h às 20h
Onde: Expo Center Norte - Rua José Bernardo Pinto, 333, São Paulo - SP

Approach
Fonte Approach 07/05/2013 ás 20h

Compartilhe

APAS apresenta pesquisa inédita sobre tendências do consumidor