ANA e Governo do Acre inauguram Sala de Situação para monitorar rios e clima do estado

Fonte Ascom/ANA 26/04/2013 às 20h
A Agência Nacional de Águas (ANA) e o Governo do Acre inauguraram em Rio Branco a Unidade de Situação de Monitoramento de Eventos Hidrometeorológicos nesta sexta-feira, 26 de abril. A Sala de Situação fica na Fundação de Tecnologia do Estado do Acre (Funtac) e realizará o monitoramento do nível dos rios, do tempo, do clima e dos focos de calor no estado para que os acrianos possam identificar eventos críticos – como cheias e secas – com antecedência e amenizar seus efeitos. Participaram da inauguração o diretor-presidente da ANA, Vicente Andreu, e o governador Tião Viana.
 
 
Para que o estado receba as informações necessárias, dez plataformas de coleta de dados (PCDs) enviadas pela ANA já estão em funcionamento nas seguintes localidades: Sena Madureira (rio Caeté), Assis Brasil (Estação Ecológica do Rio Acre e área urbana), Brasileia, Epitaciolândia, Capixaba, Rio Branco, Riozinho do Rola, Rio Espalha e Parque Estadual do Chandless. No primeiro momento, o monitoramento tem como foco principal o rio Acre desde a fronteira com o Peru até as imediações de Rio Branco.
 
 
Ainda há outras 23 PCDs previstas para instalação até dezembro, que acompanharão rios importantes, como o Juruá e o Purus. Os aparelhos possuem sensores de chuva, nível da água, e transmitem automaticamente as informações via satélite várias vezes por dia para os computadores instalados no centro de monitoramento, que estará conectado à Sala de Situação da ANA em Brasília. A rede é fruto de uma cooperação técnica entre a Agência e a Secretaria Estadual de Meio Ambiente do Acre.
 
 
Para a montagem da Unidade de Situação, a ANA também enviou para o estado materiais, como: computadores, impressoras, televisores, monitores e demais equipamentos de escritório. O objetivo da ANA é equipar todas as unidades da Federação com Salas de Situação, além de modernizar o monitoramento hidrometeorológico nacional, com o apoio do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), vinculado ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI); da Secretaria Nacional de Defesa Civil, vinculada ao Ministério da Integração Nacional; do Serviço Geológico do Brasil (CPRM); e dos órgãos gestores estaduais de recursos hídricos.
 
 
Até agora, a Agência já inaugurou Salas de Situação nos seguintes estados: Acre, Alagoas, Amazonas, Bahia, Goiás, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Roraima e Sergipe.
 
Os dados meteorológicos da Unidade de Situação serão fornecidos pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), pelo Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC/Inpe), do Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam), entre outras instituições. Além da ANA, a Sala de Situação também recebeu recursos do Fundo Amazônia, do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).
 
 
Pacto das Águas
 
Ao final do evento, o diretor-presidente da ANA e o governador do Acre assinaram a adesão do estado como o primeiro a fazer parte do Pacto Nacional pela Gestão das Águas, que foi lançado em 21 de março. A iniciativa visa a incentivar os estados a fortalecer seus Sistemas Estaduais de Gerenciamento de Recursos Hídricos (Segrehs), mediante a adoção de ações que facilitem e melhorem a implementação dos instrumentos de gestão da Política Nacional de Recursos Hídricos e das Políticas Estaduais de Recursos Hídricos. A iniciativa disponibilizará R$ 100 milhões do orçamento da Agência Nacional de Águas até 2018 aos estados que aderirem, mediante o cumprimento de metas.
 
 
Plano Nacional de Gestão de Riscos e Resposta a Desastres Naturais
 
A montagem de Salas de Situação nos estados integra o Plano Nacional de Gestão de Riscos e Resposta a Desastres Naturais, lançado pela presidente Dilma Rousseff em 8 de agosto de 2012. O Plano prevê investimentos de R$ 15,4 bilhões em ações articuladas de prevenção e redução do tempo de resposta a ocorrências e as Salas de Situação fazem parte do eixo de Monitoramento e Alerta.
 
 
Monitoramento hidrometeorológico
A Rede Hidrometeorológica Nacional da Agência possui mais de 4,5 mil estações de monitoramento, de diferentes tipos, em todo o País. Por meio de sua Sala de Situação, em Brasília, a ANA acompanha as tendências hidrológicas dos principais rios e reservatórios nacionais e desenvolve ações de prevenção que permitem identificar possíveis eventos críticos e adotar antecipadamente medidas para mitigar seus impactos.
 
 
Ascom/ANA
Fonte Ascom/ANA 26/04/2013 ás 20h

Compartilhe

ANA e Governo do Acre inauguram Sala de Situação para monitorar rios e clima do estado