Alimentação viva: uma alternativa na prática de promoção à saúde

Fonte (Ensp/Fiocruz 09/04/2013 às 9h

Alimentação viva: uma alternativa na prática de promoção à saúde

A alimentação viva ou crudivorismo é um tipo de dieta baseada no consumo de alimentos crus, frutos frescos e secos (hidratados), vegetais, sementes e grãos germinados, entre outros. Com o objetivo de adaptar essa ideia à realidade brasileira e na busca pela promoção à saúde e ao meio ambiente, o Terrapia – projeto da Escola Nacional de Saúde Pública (Ensp/Fiocruz) – oferece oficinas e seminários que buscam instruir a população nessa prática, por meio de cultivo, preparo e consumo de alimentos, contribuindo com alternativas aos hábitos alimentares e de autocuidado. Todas as atividades são gratuitas.

Os seminários regulares acontecem sempre às quintas-feiras, das 8h às 14h, nos espaços do Terrapia, na sede da Fundação, em Manguinhos (RJ). E os interessados em participar podem se inscrever até a próxima quinta (11/4), no local. As aulas vão até julho. Nas atividades, os educadores em alimentação viva ensinam como germinar sementes e brotos, compartilham práticas de compostagem doméstica e de cuidados com o meio ambiente e com o corpo. Além disso, ajudam no preparo de culinárias para o almoço e degustação de todas as receitas feitas em grupo.

Na entrada da horta, também às quintas, entre 8h e 14h, acontece a Feirinha de Produtos Orgânicos do Sítio do Moinho - uma contribuição do projeto para a Campanha Nacional Contra os Agrotóxicos e pela Vida.

Para aqueles que estão em busca de atividades de menor duração, o Terrapia promove oficinas às segundas-feiras, sempre das 9h30 às 11h. Nesse caso, não é necessário fazer inscrição. Logo na primeira aula, os participantes aprendem a germinar sementes e brotos. Uma vez compreendido esse processo, os interessados podem retornar na semana seguinte já com suas sementes germinadas para preparar receitas bem elaboradas.

E para quem gosta de gosta de “por a mão na massa” e cultivar o próprio alimento, às terças-feiras, a partir das 8h, acontece o Mutirão de horta, no qual são ensinados processos de adubo de terras para plantio e higienização dos espaços e alimentos.

O Terrapia também oferece um curso para educadores em alimentação viva. O pré-requisito é ter concluído o seminário. São oferecidas 10 vagas a cada semestre. Depois de formados, os novos educadores aulas particulares, palestras e participam de eventos na área.

Projeto Terrapia - Alimentação Viva na Promoção da Saúde e Ambiente

Contatos: (21) 2598-2659 (segunda à sexta-feira)
terrapia@ensp.fiocruz.br

(Ensp/Fiocruz
Fonte (Ensp/Fiocruz 09/04/2013 ás 9h

Compartilhe

Alimentação viva: uma alternativa na prática de promoção à saúde