Acordo militar entre EUA e Colômbia será divulgado após assinaturas, diz chanceler

Fonte Ansa Flash 19/11/2009 às 0h
O ministro das Relações Exteriores da Colômbia, Jaime Bermúdez, afirmou hoje que o texto do acordo militar com os Estados Unidos será divulgado integralmente quando estiver acertado e ratificado por ambas partes.

"Logo que pudermos vamos assiná-lo, e quando estiver assinado, não haverá inconveniente para a sua divulgação. Mas, certamente, ainda com o texto em mãos, muita gente irá querer interpretá-lo de uma maneira diferente", disse Bermúdez à rádio Caracol.

O chanceler também assegurou que não existe "mistério" para a divulgação do documento e que, atualmente, fala-se de "um texto que não existe", uma vez que ainda está sendo ajustado e deverá passar por revisões de Bogotá e de Washington.

"Nós temos sido muito claros desde o primeiro dia. Este é um acordo que visa a luta contra o narcotráfico e o terrorismo, e esperamos ter mais cooperação eficaz com outros países da região e não somente com os Estados Unidos. Isto é o que nos interessa", esclareceu.

Tal tratado é motivo de tensão entre os países da América do Sul, uma vez que nações como Venezuela e Equador argumentam que este pode representar uma "ameaça" para a segurança e a soberania da região.

Para discutir o assunto foi convocada uma reunião extraordinária da União das Nações Sul-Americanas (Unasul), realizada na última sexta-feira na Argentina.

Na ocasião, os chefes de Estado da Unasul reclamaram desconhecer o conteúdo completo do acordo que, se ratificado, terá vigência de dez anos e permitirá o envio de um contingente de até 1.400 norte-americanos a sete bases colombianas.

Bermúdez retomou hoje seu giro por alguns países asiáticos, que teve que ser interrompido pela suspeita de gripe A (H1N1), já que acompanhou o presidente colombiano, Álvaro Uribe, em sua visita à Argentina. O mandatário, que contraiu a doença, apresentou os sintomas da nova gripe em seu retorno da cúpula da Unasul.
Ansa Flash
Fonte Ansa Flash 19/11/2009 ás 0h

Compartilhe

Acordo militar entre EUA e Colômbia será divulgado após assinaturas, diz chanceler