A lipoaspiração na eliminação da gordura localizada

Fonte Toda Comunicação 15/04/2013 às 8h

A lipoaspiração desbancou a prótese de silicone e voltou a ser a cirurgia plástica mais popular no Brasil. Calcula-se que os médicos brasileiros façam em média 200 mil cirurgias desse tipo a cada ano. O sucesso se deve aos bons resultados em retirar aquelas gordurinhas localizadas que não saem somente com exercícios ou dietas.
Com isso em vista, vale lembrar que essa cirurgia – sim, lipoaspiração é uma cirurgia -,não é recomendada para a perda de peso, e sim para quando a pessoa já está próxima do seu peso ideal, somente com pequenos excessos de gordura localizados. Grandes volumes de lipídio extraídos podem ser nocivos, o que aumentaria o perigo da execução da cirurgia – e é consenso, na Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, que o volume total de gordura a ser retirado por sessão não pode ultrapassar de 5 a 7% do peso corporal do paciente. Os quilos a menos depois do processo não são os responsáveis pelo resultado estético, mas sim as proporções que cada área mantém com o restante do corpo.
O Dr. Alderson Luiz Pacheco, graduado em medicina pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) e pós-graduado em primeiro lugar em Cirurgia Geral pelo Hospital de Clínicas da UFPR, adverte que para se ter um corpo perfeito é preciso uma junção de esforços, e não somente se submeter à cirurgia. "A lipoaspiração não produz resultados sozinha. O paciente deve passar por um processo, mesmo que leve, de condicionamento físico antes e depois da operação, para trabalhar a sua musculatura. Talvez seja até necessário procurar um dermatologista para cuidar da qualidade da pele. No final, é a somatória de cuidados que trará o resultado esperado", ressalta.
“A lipoaspiração retira a gordura localizada de maneira rápida e eficiente. Pessoas insatisfeitas com a aparência da região dos quadris, culotes, abdômen, braços, papada e coxas devido ao acúmulo de gordura têm nela uma opção de correção definitiva, se bem cuidada, desses incômodos”, comenta o Dr. Alderson. A cirurgia também é indicada para quem passou pelo efeito sanfona, gravidez ou até mesmo para pessoas que possuem uma genética predisposta ao acúmulo de gordura localizada.
O pós-operatório pode provocar fraqueza, mas segundo o médico, em pouco tempo o paciente pode voltar ao ritmo normal, com restrição apenas à exposição solar, pois o sol pode manchar a pele na área da operação. Cremes, massagens, drenagem linfática são importantes e aceleram o bom resultado da cirurgia.
Serviço: Doutor Alderson Luiz Pacheco (CRM-Pr 15715)
Cirurgião Plástico
Site: http://www.alplastica.com
Blog: http://draldersonluizpacheco.wordpress.com
Email: plastica.pacheco@yahoo.com.br
Fone: (41) 3022-4646 e 4141-4424
Endereço: Rua Augusto Stellfed, 2.176, Champanhat, Curitiba/PR.

Fonte: Dr. Alderson Luiz Pacheco é graduado em medicina pela Universidade Federal do Paraná, pós-graduado em primeiro lugar em Cirurgia Geral pelo Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná e em Cirurgia Plástica e Queimados pelo Hospital Universitário Evangélico de Curitiba da Faculdade Evangélica de Curitiba. É mestre em Princípios da Cirurgia utilizando o laser e é membro especialista da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP).

Toda Comunicação
Fonte Toda Comunicação 15/04/2013 ás 8h

Compartilhe

A lipoaspiração na eliminação da gordura localizada