A experiência da Rede Acreana de Cultura

Fonte Ascom - IPHAN/AC 23/05/2012 às 15h

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), por meio de sua Superintendência no Acre, está divulgando a publicação Cultura em Rede – A experiência da Rede Acreana de Cultura (RAC). A obra faz um balanço da RAC, criada a partir de 2007 e institucionalizada em 2009, e apresenta os resultados e a experiência de implantação de uma rede de cultura, a partir do olhar dos gestores das instituições que a compõe e também de artistas e produtores culturais, que de alguma forma já tiveram acesso às atividades.

A Rede Acreana de Cultura foi inicialmente motivada pela criação do Cadastro Cultural, que fez um levantamento preliminar dos artistas, produtores e equipamentos culturais do Estado do Acre, passando pela realização de consultorias e de cursos de formação que resultaram no Festival Porto Arte, acontecido em 2010. Além do IPHAN e do Ministério da Cultura, por meio do seu Escritório de Rio Branco, a RAC conta com a participação da Fundação Municipal de Cultura Garibaldi Brasil (FGB), da Fundação de Cultura e Comunicação Elias Mansour (FEM), do Serviço Social do Comércio (SESC/AC), do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE-AC) e do Serviço Social da Indústria (SESI/AC).

Chefe do Escritório de Rio Branco da Representação Regional Norte do Ministério da Cultura, Keilah Diniz, acredita que a criação da Rede Acreana de Cultura “é uma forma de potencializar não apenas recursos financeiros, mas também a própria capacidade funcional e executora de cada instituição participante, uma vez que cria um mosaico de ações diversificados em conteúdos, formas, ambientes e amplitude territorial”.

Para a chefe do escritório do MinC no Acre, o resultado esperado da RAC é o fortalecimento da ação cultural no Estado, dando consistência às políticas públicas de modo a propiciar maiores oportunidades aos fazedores de arte e realizadores culturais diversos e ampliar o acesso da população aos bens e serviços culturais a que têm direito.

IPHAN na Rede

“A Superintendência do IPHAN é parte dessa Rede por entender que ela é de fundamental importância para a potencialização das nossas ações de valorização do Patrimônio e para a constituição do Sistema Nacional de Patrimônio no Acre”, justifica o superintendente do IPHAN-AC, Deyvesson Gusmão.

Segundo ele, apesar da Superintendência do IPHAN no Acre ter sido criada apenas em maio de 2009, o Instituto já vinha sendo representado no Estado por um escritório sub-regional da Superintendência do IPHAN de Rondônia. “Mas a criação da Superintendência, além de ampliar a atuação do Instituto no Acre, cria novas expectativas, oportunidades e responsabilidades”, lembra.

Ainda de acordo com Deyvesson Gusmão, O IPHAN-AC tem como um dos seus principais desafios aprofundar o conhecimento acerca do patrimônio cultural acreano para além da capital e das cidades localizadas ao longo do vale do Rio Acre, que é uma região de acesso mais fácil e sobre a qual já se tem algum domínio do status da salvaguarda do patrimônio.

“Vamos atuar agora na identificação e promoção do patrimônio das cidades e comunidades localizadas ao longo dos vales dos rios Laco, Purus, Tarauacá e Juruá”, avisa o superintendente, acrescentando que entre as ações prioritárias previstas está a documentação de elementos culturais importantes que até agora não foram abordadas ou contemplados pelas políticas de preservação.

Confira aqui a publicação.


Ascom - IPHAN/AC
Fonte Ascom - IPHAN/AC 23/05/2012 ás 15h

Compartilhe

A experiência da Rede Acreana de Cultura