500 famílias quilombolas recebem R$ 18,3 milhões para obras

Fonte FUNASA 29/04/2013 às 12h

 

 

Com recursos comunidades poderão iniciar licitação para execução das obras (Foto: Suest/RS)

Com recursos comunidades poderão iniciar licitação para execução das obras (Foto: Suest/RS)

A Funasa, por meio da Superintendência Estadual no Rio Grande do Sul (Suest/RS), anunciou investimentos de R$ 18,3 milhões para implantação de Sistemas de Abastecimento de Água (SAA) em 12 comunidades quilombolas da Zona Sul do estado.

O anúncio foi feito pelo superintendente estadual, Gustavo de Mello, na última sexta-feira (19). Com a primeira parcela dos recursos, já liberada, e os projetos básicos entregues, os municípios de São Lourenço, Cerrito e Canguçu poderão dar início ao processo licitatório para a contratação das empresas que executarão as obras.

Os projetos dos SAA contemplam a captação por poço artesiano, rede de distribuição, tratamento e ligações domiciliares e as obras atenderão comunidades da zona rural que possuem abastecimento precário e sofrem com a má qualidade e constante escassez da água.

Segundo Mello, os recursos foram captados a partir da elaboração de projetos pela Fundação e pela inclusão do estado do Rio Grande do Sul no programa ‘Brasil sem Miséria’, do Governo Federal. Na presença de lideranças e prefeitos municipais, o superintendente afirmou que os investimentos refletem uma reparação do estado brasileiro com a população negra. “Está se fazendo justiça com aqueles que construíram a riqueza desse país”, reiterou o superintendente.

Comunidades Quilombola

Presente no evento, Ruben Nunes da Rosa, um dos mais antigos moradores do quilombo Vila Costa, em Cerrito, deu seu testemunho sobre a dificuldade vivida pela falta de abastecimento. “Antes buscávamos água da sanga, mas hoje o veneno não deixa mais. Agora vai haver 100% de melhora na vida da comunidade”, enfatiza.

Miguel Silva, do quilombo Maçambique em Canguçu, salientou que a seca tem aumentando muito nos últimos anos, impossibilitando até mesmo a agricultura de subsistência praticada pelos quilombolas. “Fiquei radiante, nasceu o sol da justiça”, comemorou.

O vereador Formiga, de Canguçu, representante da comunidade negra, afirmou que o país vive uma transformação e que estas ações dos governos vão levar dignidade e ajudar a retirar da miséria a população negra do município. “È um reconhecimento repleto de simbolismos, reparando toda contribuição que os negros deram ao nosso país”, salientou.

As comunidades beneficiadas são: Monjolo/serrinha, Rincão das Almas/negros e Vila do Torrão de São Lourenço do Sul; Passo do Santana, Pitangueira, Ponte do Império e Vila Costa de Cerrito; e Maçambique, Potreiro Grande, Passo Lourenço e Da Armada de Canguçu.

FUNASA
Fonte FUNASA 29/04/2013 ás 12h

Compartilhe

500 famílias quilombolas recebem R$ 18,3 milhões para obras